Exclusivo: Depois de Bitcoin, G20 focará no Facebook, Blockchain, Smart Cities e segurança virtual

Depois de debater a necessidade de uma regulamentação global para Bitcoin e criptomoedas, o Grupo das 20 principais economias do mundo, o G20, debaterá os impactos das BigTechs no mundo das finanças, motivado pelo projeto de stablecoin do Facebook, Libra, segundo informações compartilhadas com o Cointelegraph em 12 de dezembro durante Labitconf, no Uruguai.

A presidência do G20 para 2020 será exercida pela Arábia Saudita, que teria definido três eixos principais para orientar os debates de todas as reuniões do Grupo e entre eles o impacto que a entrada das BigTechs pode produzir na estabilidade econômica global.

"Capacitar as Pessoas, criando as condições nas quais as pessoas - especialmente mulheres e jovens - podem viver, trabalhar e prosperar, com discussões sobre políticas relacionados ao acesso a oportunidades para todos, objetivos de desenvolvimento sustentável, comércio e investimento, inclusão financeira, emprego, mulheres capacitação, saúde, educação e turismo.
• Salvaguardar o planeta, promovendo esforços coletivos para proteger nossa meio ambiente, com discussões sobre meio ambiente, clima, água, alimentos e energia.
• Moldando novas fronteiras, adotando estratégias ousadas e de longo prazo para compartilhar os benefícios da inovação e do avanço tecnológico com uma forte foco na economia digital."

Segundo o Ministro de Finanças da Arábia Saudia, Abdulaziz Alrasheed, o G20 buscará "encontrar soluções inovadoras para desenvolver mercados de capitais domésticos, alavancar tecnologia para infraestrutura, enquadre questões de supervisão e regulamentares para o digital era, e enfrentar os desafios tributários decorrentes da digitalização da economia".

Neste caso das 'soluções inovadoras', o G20 destaca a importância de debater os riscos para a estabilidade econômica, proteção de dados, impacto no mercado interno e, principalmente, o impacto das 'moedas privadas' sendo emitidas em larga escala o que, para o G20, deve ser observado e, assim como o Bitcoin, deve ter uma definição de uma estrutura reguladora global para o tema.

Como noticiou o Cointelegraph, neste ano, os líderes do G20 reforçaram seu posicionamento anterior com relação às criptomoedas, em uma declaração conjunta depois da Cúpula do G20 em Osaka.

Na declaração, os líderes do G20 declararam que as criptomoedas atualmente não constituem uma ameaça à estabilidade monetária, e que a inovação tecnológica pode trazer benefícios importantes para a economia. Além disso definiram que todas as nações devem adotar as normas sobre criptomoedas estabelecidas pelo GAFI. 

Confira mais notícias