Principal desenvolvedor da Monero, Riccardo Spagni diz que principal vantagem do Bitcoin é seu efeito de rede

Em conversa com Shannon Grinnell para o podcast "Speaking of Crypto", Riccardo Spagni, principal desenvolver da Monero e também conhecido como "fluffypony", colocou os 10 anos de existência do Bitcoin como uma de suas vantagens sobre as "concorrentes". 

Além disso, o programador também afirmou que a maior vantagem da maior criptomoeda do mundo é o seu efeito de rede, que nenhuma outra conseguiu alcançar até aqui.

O Bitcoin surgiu há 10 anos e sempre foi a maior criptomoeda em termos de capitalização. Este ano o BTC completou seu 10º aniversário desde a geração de seu blocos gênese (primeiro bloco minerado depois da primeira transferência de BTC realizada por Satoshi Nakamoto).

Ao longo dos anos, a Bitcoin chamou a atenção de investidores de varejo, investidores institucionais, órgãos reguladores e até órgãos governamentais poderosos em todo o mundo.

Durante o podcast, Spagni afirmou:

" Você não pode alcançar isso sem estar por aí por 10 anos [...] é um pouco tarde para qualquer um tentar bater isso porque qualquer um que confie no Bitcoin agora, confia nele por causa de seus 10 anos de história e quem confia em algo novo não terá 10 anos de história em que possa confiar."

Spagni afirmou ainda que o ativo digital alcançou um nível de domínio que, segundo ele, será difícil de ser vencido. Ao mesmo tempo, fluffypony também afirmou que o Bitcoin não será a única criptomoeda existente neste ecossistema, acrescentando que haveria outras moedas que sobreviveriam no longo prazo. 

Para comprovar sua teoria Spagni usou uma analogia com os carros. A maioria dos carros usa gasolina ou diesel, no entanto, eles não são os únicos tipos de carros existentes - existem carros elétricos e movidos a gás. Ele afirmou que isso não significa que gasolina ou diesel é a única maneira de alimentar um carro, mas que era apenas a tecnologia dominante no momento. No entanto, com o Bitcoin, "o domínio continuará indefinidamente", acrescentou.

Além disso, Spagni falou sobre o Ethereum, explicando uma de suas analogias anteriores sobre a principal plataforma de contrato inteligente. Spagni já havia dito anteriormente no Twitter (https://twitter.com/fluffypony/status/1058665022979796997) que a estratégia do Ethereum de atrair usuários de dApps (aplicativos descentralizados) não deu em nada. Spagni afirmou que a atividade do projeto era "mais ao redor do próprio Ethereum, em vez de coisas que estão sendo construídas em cima do Ethereum". 

Spagni afirmou:

“E o que percebi ao longo do tempo é que é verdade. Ethereum pode fazer tudo, mas não pode fazer todas essas coisas individuais particularmente bem.”

Isto foi seguido por Spagni afirmando que se o Monero fosse construído no Ethereum, ele teria uma utilidade muito limitada. O desenvolvedor acrescentou que havia aspectos do Ethereum que limitariam a habilidade de criar grandes assinaturas de anel - uma das principais inovações trazidas pelo Monero.

O projeto Monero é um dos mais citados quando se trata de privacidade e não para de se desenvolver. A criptomoeda funciona através da prova de trabalho (Proof of Work) mas está buscando algumas mudanças num futuro próximo. Conforme reportado anteriormente, os programadores do projeto consideram adotar um novo algoritmo de prova de trabalho em outubro deste ano.