'Eu usei o Bitcoin para pagar um hambúrguer no Burger King e vou te contar como foi', revela jornalista

Recentemente, o Burger King, uma das maiores franquias de fast food do mundo, anuncou a adoção de Bitcoin para pagamento de seus lanches em um restaurante na Venezuela. Para conferir o funcionamento do sistema e avaliar a iniciativa o jornalista do Cointelegraph, versão em espanhol, Javier Bastardo foi conferir e contou como foi a experiência. Confira.

No domingo passado, fui ao Burger King do Sambil Shopping Center, localizado no leste da cidade de Caracas, capital da Venezuela . Até agora, tudo pareceria comum e até sem graça. No entanto, o tempo para pagar o meu whooper duplo, foi menor e eu usei meus satoshis , porque na Venezuela estão ganhando força bitcoin e outros criptomonedas, bem como processadores de pagamento e um ecossistema crescente de entusiastas e empreendedores. Vou contar a você minha experiência de compra com bitcoin no Burger King.

Este é um país de acentuadas diferenças sociais. Assim como há aqueles que contam, dia após dia, o tempo para reunir o suficiente para pagar pela comida, há outros que se acostumaram a pagar todo o seu consumo em dólares. Nesse cenário, até mesmo as criptomoedas competem, embora ainda de forma incipiente.

Aquí su fiel @criptobastardo pagando con BTC en @BurgerKingVE a través del procesador de pagos de @cryptobuyer.

Cabe decir que este whooper fue pagado con sats on-chain 🍊🍊 pic.twitter.com/Ioi6HKpFcB

— Javier Bastardo 🏴‍☠️ (@criptobastardo) January 5, 2020

 

A Cryptobuyer, uma empresa focada no processamento de pagamentos com criptomoedas, de origem venezuelana, havia anunciado alguns dias antes da integração de seu processador de pagamentos na cadeia de fast food. O serviço estaria disponível apenas nesta franquia inicialmente, embora seja esperado que seja estendido a todos os locais do Burger King em todo o país.

O processo é extremamente simples. Você chega ao caixa, faz seu pedido e indica que vai pagar com bitcoin ou com a criptomoeda de sua escolha. Um elemento que enfatizo é que os caixas responsáveis ​​por esse tipo de cobrança estão familiarizados com a ferramenta. Meu pedido foi simples. Um combo com Whooper.

Se considerarmos que o pagamento levou apenas um minuto e meio, podemos ver que essa solução de pagamento concorre com os pontos de venda tradicionais, que geralmente são deficientes no país, seja pela plataforma bancária ou por problemas de hardware (não substituídos apesar da passagem dos anos), seja por problemas dos meios de pagamento do cliente.

Além disso, no meu caso, reduziu o possível atrito temporário em face do comércio, uma vez que o tempo de confirmação da transação na blockchain Bitcoin foi reduzido para 0, pois a Cryptobuyer assume o pagamento sem confirmações.

Isso pode ser problemático, porque eles correm o risco de ter uma transação Replace By Fee ( RBF ) que, com a mesma transação imediata (UTXO), pode redirecionar os fundos para o usuário, simplesmente adicionando uma quantidade considerável de comissão a uma nova transação com o mesmo UTXO.

Prós e contras

Como eu disse, o principal benefício é que o pagamento é rápido. Muito rápido. Além disso, por ser um meio de pagamento diferente, desperta a curiosidade de outros clientes, o que pode ser um elemento importante para atrair novos adotantes de Bitcoin.

No entanto, os pontos críticos do processo começam aqui. O Cryptobuyer coloca uma comissão de processamento de pagamento a ser paga pelo próprio cliente. No caso da transação que fiz com bitcoin, a comissão foi de 12% sobre o pagamento estipulado pelo comércio. Contudo a Cryptobuyer disse que isso foi uma 'anomalia' devido à má administração do caixa. A comissão deve ser fixada em 4%, como o CEO da Cryptobuyer explicou à equipe editorial da CoinTelegraph em espanhol.

Outro ponto negativo é a taxa de câmbio bitcoin-bolívar (...) Assim, para minha compra, esse elemento da taxa de câmbio se destacou, pois a relação BTC / VES era 45% menor que os preços de mercado.

A equipe do Cryptobuyer ficou um pouco atordoada com os fatos, o que implica que esse problema não foi devido ao software deles. Após uma troca de palavras em seu grupo público, e em um tom que descrevi como " cortesia fingida " , o próprio Farias acabou me oferecendo um reembolso do pagamento, insistindo que esse é um acordo que está em fase de testes. O pagamento foi feito sem novidades na segunda-feira .

É possível dizer que a reação foi acelerada, porque a resposta para toda a situação foi dada no mesmo domingo. Outros usuários também se queixaram da taxa, não diretamente no meu caso, mas por causa de sua própria experiência.

Conclusão

A realidade econômica da Venezuela é um desafio constante. O uso de novos meios de pagamento pode ajudar, no meio da depreciação do bolívar e diante das restrições impostas pelo dólar americano, as criptomoedas ganham cada vez mais destaque. No entanto, se o usuário for prejudicado pelo uso de Bitcoin ou qualquer outra criptomoeda, ele provavelmente descartará seu uso. 

Além disso, a falta de clareza da empresa ao responder às comissões, constantemente referindo os usuários a verificar as informações em seu site, em vez de responder diretamente, não parece ser a melhor gerência. Somente após a primeira publicação desta crônica, o próprio Farías explicou como o sistema funciona.

Como noticiou o Cointele

Confira mais notícias