'Eles estão continuando a mesma corrupção em um novo pacote', diz Antonopoulos sobre uso de blockchain no Governo brasileiro

O especialista em Bitcoin e uma das personalidades mais conhecidas do universo das criptomoedas, Andreas M. Antonopoulos, concedeu uma entrevista exclusiva ao Cointelegraph Brasil no qual declarou que as iniciativas baseadas em blockchain do governo brasileiro são apenas a repetição da mesma ordem social em um novo pacote.

Antonopoulos foi questionado o que ele achava da iniciativa do presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, de declarar que blockchain é fundamental para o sistema financeiro do país e também sobre outras iniciativas do Governo Federal, que fazem uso da tecnologia. O programador declarou que 'blockchain' é apenas uma palavra que não significa nada.

"Ah, isso depende de que tipo de Blockchain é. A palavra Blockchain não significa nada. É possível que o Blockchain seja um banco de dados centralizado ou possa ser um livro público aberto, muito descentralizado, e os dois são coisas completamente diferentes. O fato de terem o mesmo nome não significa nada. Então, você sabe, ah ... só porque você chama algo de Blockchain não o torna descentralizado. Só porque você chama a República Democrática da Coreia do Norte de democrática, isso não a torna democrática. Então, a pergunta é: você vê o Blockchain ... eu digo ... está aberto? É inigualável? É neutro? É imutável? É resistente a centralização? É verificável? É descentralizado? Se são essas coisas, é um Blockchain público aberto. Se não for, é besteira, e você precisa saber a diferença entre os dois", disse.

Segundo ele, o que o governo está fazendo e a maioria dos governos é 'pura besteira' e é apenas uma forma de continuar a mesma estrutura de poder em uma 'nova caixa'.

"A maior parte do que eles estão falando no governo, nos Bancos Centrais, é besteira, não cadeias públicas abertas. Não é aberto, não é descentralizado, não é resistente à uma autoridade central, não é neutro, não é imutável. É uma ferramenta para controle e centralização. E se você deseja uma ferramenta para controle e centralização, use-a no banco de dados. Não vamos fingir, certo. Não há necessidade de perder tempo com essa tecnologia. Eles estão apenas desperdiçando mais dinheiro dos contribuintes, para que possam controlar mais contribuintes. Isso é ridículo. Não é inovação. Está fingindo. É teatro. Então, você não precisa de teatro de inovação. O que precisamos é de inovação e inovação é mudar a estrutura do poder. É o sistema que você está construindo. Isso não muda a estrutura do poder. Isso não muda nada. Tudo o que faz é estimular a mesma corrupção, a mesma centralização, a mesma coisa em um novo pacote. Mas por dentro ainda é uma merda", declarou.

Para o programador, iniciativas de governos de lançar uma criptomoeda (CBDC) é apenas a continuação das mesmas estruturas de poder em uma roupagem nova e que isso não muda nada na vida das pessoas.

"É exatamente o mesmo com as moedas digitais do Banco Central. O que eles estão tentando fazer é reembalar a mesma coisa em um novo pacote brilhante e fingir que mudaram alguma coisa. E eles não têm. A verdadeira questão apresentada é quem está no controle 'destas coisas'? E a única razão pela qual Blockchains públicos abertos são interessantes é porque todos estão no controle e ninguém no controle, certo. Porque é descentralizado. É isso que o torna interessante. E se você tirar isso, não é mais interessante", finalizou.

Recentemente, como noticiou o Cointelegraph, durante uma palestra na Labitconf, no Uruguai, Antonopoulos defendeu o uso da criptografia para garantir a privacidade das informações o que, segundo ele, é a garantia da democracia e da liberdade.

"Quantos aqui tem o Whatsapp no seu celular? Tire essa merda do seu aparelho (...) Não sou contra uma ou outra companhia específica. O Facebook é só um símbolo sobre como 'topamos' vender nossa privacidade e democracia em troca de um vídeo de gato (...) Bitcoin é só o primeiro passo para mais privacidade no sistema financeiro e mais privacidade em tudo, mas isso depende de todos nós, conscientizar a nós mesmos e a nossos parentes e amigos"..

Confira mais notícias