Economista Joseph Stiglitz: Só um louco confiaria no Libra do Facebook

Joseph Eugene Stiglitz, economista ganhador do prêmio Nobel, afirma que “toda moeda é baseada na confiança, mas apenas um otário confiaria no Libra do Facebook” em um artigo publicado em 2 de julho.

Stiglitz também observa que, “em apenas alguns anos, o Facebook ganhou um nível de desconfiança que o setor bancário levou muito mais tempo para conseguir”. Ele parece temer que a criptomoeda do Facebook possa ser hospitaleira para uma economia paralela:

“A última coisa de que precisamos é de um novo veículo para estimular as atividades ilícitas e lavar as receitas, o que, quase certamente, será uma outra criptomoeda”.

Ainda assim, o economista também reconhece que o atual sistema financeiro tem um problema, que é a falta de concorrência nos pagamentos. Um resultado dessa falta de concorrência é que os consumidores - especialmente os residentes nos Estados Unidos - pagam várias vezes o que um pagamento deve custar.

Ele observa que um possível modelo de negócios para Libra seria simplesmente manter os juros pagos sobre os ativos subjacentes à stablecoin. Stiglitz também diz que ele espera que não haja boas razões para depositar seus ativos onde eles não acumulam juros:

“Pessoas que se envolvem em atividades nefastas (possivelmente incluindo o atual presidente da América) estão dispostas a pagar para que suas atividades nefastas - corrupção, evasão fiscal, tráfico de drogas ou terrorismo - não sejam detectadas. [...] Se este é o modelo de negócios do Libra, os governos devem acabar com ele imediatamente."

Como alternativa, observa ele, o Libra poderia lucrar com os dados das transações, assim como o Facebook, que aumenta as preocupações com a privacidade. Stiglitz não confia na administração do Libra, já que "muitas vezes, os líderes do Facebook, diante de uma escolha entre dinheiro e honrar suas promessas, pegaram o dinheiro".

Enquanto isso, um funcionário do Banco do Japão afirmou hoje que o Libra explora o sistema financeiro, informou a mídia local de língua inglesa Nikkei em 3 de julho.

Um funcionário do Banco do Japão observou que o Libra do Facebook estaria "pegando carona de graça em um sistema financeiro que demanda altos custos" para se manter e os reguladores temem seu efeito sobre a estabilidade financeira. Um funcionário não identificado da instituição também comentou sobre o projeto:

"Isso vai levar o dinheiro para um mundo absolutamente virtual, então é completamente diferente de outras formas de pagamento digital".

O presidente do banco central do Japão, Haruhiko Kuroda, acrescentou que pretende "vigiar atentamente" os aumentos na aceitação de criptomoedas para pagamentos e seu impacto na estabilidade financeira. O relatório observou ainda que quando os usuários compram o Libra, os fundos vão para a aquisição de uma combinação de moedas nacionais e títulos do governo de curto prazo.

De acordo com o Nikkei, a escolha de não amarrar o Libra a qualquer moeda fiduciária em particular destina-se a evitar a regulamentação local de qualquer nação. Além disso, uma vez que os usuários não percebem interesse nos ativos subjacentes a suas posições de Libra, isso diminuiria a eficácia de reduzir ou aumentar as taxas de juros para a política monetária.

Como o Cointelegraph informou hoje, mais de 30 grupos de defesa apareceram como signatários em uma solicitação de que o Congresso e os reguladores dos EUA implementem uma moratória oficial sobre o desenvolvimento do Libra .

Também ontem, a pesquisa recente da empresa de serviços financeiros Jefferies descobriu que os usuários americanos dificilmente usarão o Libra devido à falta de confiança.