"Não perca o fôlego" esperando por um ETF Bitcoin, diz a "mamãe da cripto" SEC

Uma comissária da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) disse que "não perder o fôlego" à espera de um fundo negociado em bolsa (ETF) de Bitcoin no Digital Asset Investment Forum, realizado em Washington D.C. 5 de dezembro.

Hester Peirce, apelidada de "mamãe da cripto" pela comunidade por sua discordância com a decisão da SEC de rejeitar um ETF de Bitcoin proposto por Cameron e Tyler Winklevoss, disse que um ETF de cripto ou de Bitcoin é "definitivamente possível", mas pode estar a anos de distância:

"Definitivamente, pode ser daqui a 20 anos ou pode ser amanhã. Não perca o fôlego.  A SEC levou muito tempo para estabelecer a Finhub. Pode levar ainda mais tempo para aprovar um produto negociado em bolsa".

De acordo com Pierce, ela também está tentando convencer seus colegas de "ter uma mente um pouco mais aberta" quando se trata de adoção de cripto, mas isso pode levar muito tempo.

Sobre a possibilidade de institucionalização do Bitcoin, Peirce disse que a SEC vê muito interesse institucional e de varejo e irá interagir com ele de várias maneiras. Ela acrescentou ainda:

"Acho que precisamos incentivar a institucionalização no espaço de cripto. Não é isso que as pessoas no espaço querem, mas eu acho que existem pessoas institucionais que querem estar neste espaço [...] E a melhor maneira que podemos oferecer aos investidores de varejo para entrar neste espaço é através de um lugar que é mais institucionalizada".

Quando perguntada sobre as recentes execuções da SEC, "mamãe da cripto" disse que as pessoas têm que cumprir a lei, mas o governo é obrigado a descobrir se o regulamento está impedindo as pessoas de realizar ideias novas ou inovadoras.

"Eu quero ter certeza de que as portas para a inovação estejam abertas o suficiente, e elas não sejam muito limitadas pela regulamentação", concluiu ela.

Em uma entrevista recente, o presidente da SEC, Jay Clayton, absteve-se de fornecer um prazo específico para um ETF de Bitcoin, mas reiterou a posição da SEC. "Eu não vou comentar sobre o tempo ou algo assim, mas temos sido claros sobre alguns dos problemas que nos preocupam", disse ele à CNBC.