Pirâmide financeira com criptomoeda em Uganda rouba dinheiro dos funcionários e some

Um suposto esquema de pirâmide de criptomoeda em Uganda fugiu depois de fraudar dezenas de vítimas que investiram e trabalharam para o esquema.

A Dunamiscoins Resources Limited abriu em Masaka no mês passado e começou a convidar pessoas para investir e se tornar parte de sua "rede de moeda digital", como o jornal independente de Uganda Daily Monitor noticiou em 5 de dezembro. Os escritórios da empresa fecharam repentinamente apenas um mês após a abertura, com funcionários encontrando as instalações vazias.

Dunamiscoins obrigava funcionários a pagar para começar a trabalhar

Um empresário que trabalhou ao lado dos escritórios da Dunamiscoins disse que a empresa estava convencendo as pessoas a ingressar na empresa prometendo 40% de retorno sobre os investimentos em dinheiro. Segundo a testemunha, a empresa aparentemente estava trabalhando com transferência de dinheiro na cidade para recrutar novas pessoas para o esquema.

Além disso, Dunamiscoins supostamente pediu que cada funcionário pagasse 20.000 xelins de Uganda (US$ 5) para se registrar na empresa. De acordo com um ex-vendedor da Dunamiscoins, a empresa prometeu altos retornos sobre os investimentos, mas também gastou com seus funcionários o dinheiro pago pelo registro.

O Daily Monitor tentou entrar em contato com os Dunamiscoins, mas nenhum dos números de telefone obtidos estava disponível, observa o texto. A Cointelegraph entrou em contato com um endereço de e-mail mencionado no site da Dunamiscoins apenas para receber um aviso de que o endereço listado não foi encontrado.

A notícia chega na sequência de um anúncio do vice-presidente do Banco de Uganda de que as empresas de criptomoedas online não são regulamentadas no país até o momento. Em junho de 2019, o funcionário alertou o público sobre as proteções limitadas oferecidas quando investem em criptomoedas não regulamentadas, descrevendo também vários riscos associados à negociação e adoção de criptomoedas.