'Criptos não competem com o ouro', diz executiva da Barrick Gold

Catherine Raw, diretora de operações (Chief Operation Officer - COO) para a América do Norte da maior empresa de mineração de ouro do mundo, a Barrick Gold, disse que não acredita que as criptomoedas sejam concorrentes do ouro, informou a Fortune em 18 de setembro.

Raw fez suas observações ontem durante a Most Powerful Women International Summit, da Fortune, onde declarou:

“A natureza muito tangível do ouro é o que o mantém em lugar especial. Por isso, ele sempre terá valor, não importa o preço, mas jamais chegará a zero. E podemos considerar que o valor de uma criptomoeda pode chegar a zero - essa é a diferença. "

O texto diz que - uma vez que o ouro é usado em jóias e eletrônicos - ele tem a garantia de ter algum valor. Apesar disso, Raw também admitiu que "o fenômeno da criptomoeda chegou para ficar".

Esperança de trazer jovens investidores de volta ao ouro

Raw espera que a indústria do ouro seja capaz de reconquistar jovens investidores entre 20 e 40 anos, que hoje têm preferido ativos cripto ao ouro. Raw admitiu que atualmente quem compra ouro são principalmente os mercados, instituições e bancos centrais da Índia e da China.

Ela acrescentou que entre os jovens investidores existe a impressão de que as únicas pessoas que compram ouro são "velhos antiquados com medo do mundo". Ela disse:

“O que eu queria mesmo era ver o ouro aproveitar isso. [...] acho que a indústria do ouro não enxerga como tirar proveito de uma mudança demográfica. [...] Minha ambição a longo prazo é realmente descobrir de qual forma, como indústria do ouro, podemos aproveitar melhor essa população mais jovem. ”

No início deste mês, o Banco Turco de Compensação, Liquidação e Custódia de Istambul (Takasbank) anunciou uma plataforma baseada em blockchain para negociação de ouro. O novo projeto do Takasbank visa permitir que as pessoas transfiram ouro físico armazenado na Bolsa de Valores da Borsa Istambul.