Fundo de cobertura cripto Pantera Capital garante US$ 130 milhões por terceiro capital de risco cripto

O fundo de cobertura cripto Pantera Capital já garantiu US$ 130 milhões de uma meta de US$ 175 milhões para seu terceiro fundo de investimento em criptografia. O desenvolvimento foi compartilhado com Cointelegraph em correspondência privada com o presidente do Pantera, Bill Healy, em 22 de fevereiro.

Para o fundo de estréia do Pantera em 2013, a empresa arrecadou US$ 13 milhões, aumentando para US$ 25 milhões no segundo. Conforme relatado em agosto de 2018, o Pantera levantou a barra para sua terceira oferta, dizendo que a meta de US$ 175 milhões era “em função de quão rápido o espaço está se movendo, o talento chegando, as oportunidades e o tamanho das rodadas". Healy disse hoje à Cointelegraph que:

“O capital de risco da blockchain continua muito forte, tanto em termos de retornos como de fluxo de negócios. Os dois primeiros fundos de risco do Pantera, lançados em 2013 e 2015, estão avaliados atualmente em 7,2x e 2,8x, respectivamente. [Para o terceiro], conseguimos US$ 130 milhões do fundo de US $ 175 milhões no fechamento anterior. O fundo de capital de risco III terá seu fechamento final em 28 de março.”

Executivos do Pantera já divulgaram anteriormente que US$ 100 milhões de 140 investidores já haviam sido levantados em meados de agosto de 2018, de acordo com uma reportagem da CNBC à época. O fundo supostamente tem um período de investimento de uma década e oferece aos investidores capital em uma empresa de blockchain em troca de seu capital.

Healy revelou as atividades do fundo até o momento, destacando que:

“Nosso terceiro fundo de investimento em blockchain investiu US$ 30 milhões em nove empresas do portfólio. O Pantera juntou-se à BCG e à Microsoft como investidora fundadora da Bakkt, a recém-formada subsidiária da controladora da Bolsa de Valores de Nova York (Intercontinental Exchange - NYSE: ICE). O Pantera liderou as rodadas de financiamento em cinco acordos, incluindo o Blockfolio e, mais recentemente, o Staked. Nossos investimentos na StarkWare e na Synthetic Minds também foram anunciados”.

Conforme relatado em agosto, o Pantera também vem desenvolvendo fundos de capital não tradicionais para investidores em cripto, como uma estratégia de investimento com informações do aprendizado de máquina e um fundo de cobertura focado em oferta inicial de moedas (ICO).

Em dezembro, o fundo de cobertura publicou um boletim informativo avisando que um quarto de seus projetos de ICO poderia violar as leis de valores mobiliários dos EUA e seria potencialmente compelido a pagar os investidores.

A mais recente rodada de financiamento liderada pelo Pantera, como observou Healy, estava na Staked, uma empresa que gerencia as criptomoedas depositadas e empenhadas pelos clientes, que geram recompensas em bloco.

Enquanto os investimentos de ICO podem enfrentar o impacto adverso da crise do mercado de criptomoedas e das repressões regulatórias, alguns propuseram que os investimentos em tokens de prova de participação podem fornecer uma estratégia de investimento rentável, independentemente das condições do mercado.