Empresa de corretagem cripto do ex-CTO da Uber, Voyager compra startup de carteiras Ethos

A Voyager Digital, empresa de corretagem cripto co-fundada pelo ex-CTO of Uber, está negociando a aquisição da startup de carteiras cripto Ethos, conforme anúncio publicado pela Voyager em 27 de fevereiro.

A compra vem pra estreitar os laços da parceria estratégica entre Ethos e Voyager, que havia sido primeiro anunciada em setembro do ano passado. De acordo com o anúncio, o software Ethos Universal Wallet, lançado em julho de 2018, será integrado aos negócios institucionais e de varejo da Voyager, permitindo a custódia própria e integrada com uma solução de corretagem.

Com a aquisição, a Voyager terá acesso o Ethos Bedrock, um app empresarial em blockchain. Com o Bedrock, a empresa pretenderia fortalecer sua oferta institucional e permitir a negócios de qualquer tipo construir aplicações equipadas por blockchain nas áreas de custódia, pagamentos e investimentos.

Shingo Lavine, fundador e CEO a Ethos, irá fazer parte da Voyager como diretor de blockchain. A rede cripto Coindesk informou que a Voyager envolverá na transação cerca de 7 milhões de suas ações, que estão cotadas em CA$ 0,77 (US$ 0,66) no momento desta publicação. Isso traduz a aquisição para cerca de CA$ 5.39 milhões (Pouco mais de US$ 4 milhões).

Espera-se que a compra seja concluída no final de março e o valor não será pago em sua totalidade, já que 3.3 milhões de ações serão entregues imediatamente e um milhão de títulos mantidos em custódia e liberados em dois anos, enquanto 2,6 milhões serão retidos por 24 meses. A Coindesk ainda escreve que a Voyager também ganharia alguns tokens Ethos, que foram emitidos em sua oferta de moeda inicial (ICO) em julho de 2017 — quando a empresa tinha o nome de Bituence — levantando perto de US$ 1.7 milhão.

O Cointelegraph recentemente noticiou que a Voyager tornou suas ações públicas na TSX Venture Exchange do Canadá depois de completar sua incorporação.