Operadora de caixa eletrônico para criptos, CoinFlip adia listagem da stablecoin Tether

A operadora de caixas automáticos de criptomoedas (ATMs) CoinFlip adiou o suporte para a stablecoin Tether (USDT). A empresa fez o anúncio em um tweet nesta quarta-feira, 1º de maio.

O CoinFlip revelou inicialmente que iria listar a stablecoin USDT disponibilizada pelo Tron em mais de 180 de seus caixas eletrônicos em 30 de abril. No entanto, em aproximadamente 24 horas, o CoinFlip publicou uma atualização, dizendo que adiou a listagem do USDT “até outra oportunidade futura.”

A empresa observou no tweet que ainda vai trabalhar em conjunto com o Tron para fornecer aos clientes a opção Dinheiro-Tron.

Comentando sobre a decisão da empresa, o CEO do CoinFlip, Daniel Polotsky, disse ao Cointelegraph:

“A prioridade número um do CoinFlip é garantir que nossos clientes estejam seguros, por isso sempre temos cautela. Precisamos ter certeza de que o USDT é estável e que o Tether e a Bitfinex estão cumprindo as leis dos EUA. Eu realmente espero que seja esse o caso."

Ontem, o Cointelegraph informou que Zoe Phillips, da firma de advocacia Morgan Lewis, disse que 74% das reservas do Tether tinham 1:1 de lastro em dólar americano. O número fica aquém das promessas anteriores dadas pelos executivos do Tether de que cada token do USDT tinha total respaldo em moeda fiat.

A afirmação de Phillips veio na esteira das alegações do escritório da Procuradoria Geral de Nova York de que a Bitfinex havia perdido US$ 850 milhões e subsequentemente usado fundos do Tether para cobrir secretamente o déficit.

Mais tarde, naquele mesmo dia, o Tether respondeu às alegações afirmando que “os documentos judiciais foram escritos de má fé e estão repletos de afirmações falsas, inclusive sobre uma 'perda' de US$ 850 milhões na Crypto Capital”. A empresa também disse que “ambos Bitfinex e Tether estão comprometidos em combater essa grande disparidade do escritório da Procuradoria Geral de Nova York contra empresas que são boas cidadãs corporativas e fortes defensoras da lei.”

Em janeiro passado, críticos suspeitaram de que a moeda operasse uma reserva fracionária enquanto emitia mais tokens do que seu lastro e enviaram as informações para a Bitfinex. Após uma intimação dos reguladores dos Estados Unidos para a Bitfinex e o Tether, a empresa pediu uma auditoria não oficial que concluiu que a stablecoin possuía a quantia apropriada de dólares para lastro.