Craig Wright usa documentos falsos para tentar provar sua inocência no caso Kleiman

O autoproclamado criador do Bitcoin (BTCCraig Wright teria fornecido provas fabricadas entre os documentos entregues à corte em pasra provar os autores de uma escritura, conforme documentos revelados pelo advogado de acusação Stephen Palley no Twitter em 3 de julho.

Segundo Palley, o autoproclamado Satoshi Nakamoto não conseguiu provar o suas alegações, apresentando documentos judiciais que Palley alega serem falsos, pois contêm diversas discrepâncias cronológicas.

Entre os documentos registrados no Tribunal Distrital do Distrito Sul da Flórida, em 3 de julho, há um documento apresentado como uma prova de cooperação entre Wright e o já falecido David Kleiman, cujos registraram o caso contra Wright em fevereiro de 2018. Os advogados de Kleiman acusam Wright de roubar centenas de milhares de Bitcoin — no momento avaliados em mais de US$ 5 bilhões — depois da morte de Kleiman em abril de 2013.

Enquanto o documento de escritura de confiança apresentado é datado em 23 de outubro de 2012, os metadados do arquivo indicam que o documento foi realmente criado após a morte de Kleiman, conforme Palley descobriu. O documento aparentemente usa um aviso de direitos autorais de 2015 relacionado ao Calibri, a fonte do Microsoft Word, indicando que o documento não poderia ser anterior.

Alleged falsification of trust deed documents by Craig Wright

Suposta falsificação de documentos de escritura de confiança por Craig Wright. Fonte: Stephen Palley

Depois da acusação contra Wright de forjar os documentos judiciais, Palley escreveu:

“Quer dizer, faz sentido que o inventor do Bitcoin possa viajar no tempo. Sua alteza."

No fim de junho, Wright declarou que não pode atender a uma ordem judicial para fornecer todos seus endereços de Bitcoin, dizendo que ele deu uma informação fundamental sobre os fundos e carteiras para Kleiman antes de sua morte.