Confirmado: Sony e Fujitsu vão testar blockchain para integridade do registro educacional

O setor educacional do conglomerado multinacional japonês Sony e da empresa de TI Fujitsu vão testar a tecnologia blockchain para aprimorar a integridade de registro de cursos e dados de graduação. A notícia foi oficialmente revelada em comunicado à imprensa da Fujitsu hoje, 27 de fevereiro.

O projeto piloto é uma parceria conjunta entre Sony Global Education, Inc., Fujitsu Limited, Fujitsu Research Institute e Human Academy Co., Ltd. — o último sendo uma escola de línguas para estudantes estrangeiros no Japão. Os potenciais estudantes participando dos testes de blockchain irão completar um curso, “Nihongo Dojo”, que irá prepará-los para aprovação no Nihongo Kentei, o teste de proficiência em língua japonesa.

Para a parceria, a Fujitsu irá ser responsável por oferecer sua plataforma de educação digital, chamada “Fisdom”, para os estudantes envolvidos. A gigante de TI também irá trabalhar com a Sony Global Education com serviços blockchain em núvem, que serão usados para certificar e gerir os registros do curso e os dados acerca da performance dos estudantes.

O press release ainda revela que o curso Nihongo Dojo será ministrado através da plataforma onine do Fidsom depois que os estudantes forem devidamente aceitos para o programa de intercâmbio:

“A plataforma do curso [Fisdom] vai reunir os dados como resultados de testes, habilidade de conversação em japonês e tempo de estudo, guardá-los em uma blockchain como um certificado. A Human Academy [...] então terá a possibilidade de de avaliar com mais precisão a habilidade linguística de cada estudante, baseada em dados altamente confiáveis, comparando os dados de certificação na blockchain com os certificados educacionais enviados pelos estudantes.”

Ao permitir a verificação da exatidão da proeficiência declarada pelos estudantes, a solução em blockchain irá permitir à Human Academy “apoiá-los com uma educação adequada a seus níveis de habilidade depois que chegarem ao Japão", diz o comunicado.

O Fujitsu Research Institute irá contribuir para os testes avaliando as necessidades das instituições educacionais e propondo modelos de negócios para implementação futura. A Fujitsu ainda escreve que irá:

“Promover o uso de blockchain no campo educacional, com objetivo de participar de uma sociedade em que os dados associados com a educação de um indivíduo possam ser usados com segurança para além da estrutura de empresas e instituições educacionais ”.

O anúncio oficial da Fujitsu de hoje confirma a cobertura anterior da grande rede de notícias japonesa The Asahi Shimbun, como o Cointelegraph noticiou em 26 de fevereiro.

Um projeto piloto similar que usa blockchain para combater imprecisões na certificação internacional foi também recentemente revelado pelo governo de Malta.

Além disso, em janeiro a Universidare do Bahrein anunciou que emitiria diplomas em blockchain, a nos Estados Unidos, Massachusetts Institute of Technology emitiu certificados digitais baseados em blockchain para mais de 100 graduados como parte de um piloto no final de 2017.