Empresas ainda não entenderam todo o potencial da blockchain, revela pesquisa

Um recente levantamento feito pela Gartner, o 2019 CIO Agenda Survey, entrevistou mais de 3.000 CIOs (Chief Information Officers) e trouxe um dado revelador: apenas 11% dos executivos indicam que suas organizações já implementaram ou estão planejando ter projetos a curto prazo com a tecnologia Blockchain, segundo revolou uma reportagem do portal Convergência Digital publicada em 04 de setembro.

Segundo o Diretor de Pesquisa do Gartner, Adrian Leow, o mercado de plataformas em blockchain ainda precisa amadurecer e ser compreendido pelas empresas para que elas possam definir como aplicar a tecnologia dentro do conceito do produto, o conjunto de recursos e os principais requisitos de aplicativos.

"Não esperamos que haja uma única plataforma dominante nos próximos cinco anos”, adiciona.
 

Ainda segundo a reportagem o executivo destacou que boa parte dos projetos atuais que utilizam a tecnologia ignoram todo seu potêncial e se concentra apenas no registro de dados, "ignorando os principais recursos, como consenso descentralizado, uso de tokens ou contratos inteligentes"

“O DLT é um componente do Blockchain, não o Blockchain inteiro. O fato de as organizações usarem tão raramente o conjunto completo de recursos desse conceito leva à questão de saber se eles precisam mesmo de Blockchain”, diz o analista do Gartner. "É bom começar com o DLT, mas a prioridade dos CIOs deve ser esclarecer os casos de uso do Blockchain como um todo e passar para projetos que também utilizem outros componentes do conceito" revela.

Leow afirma ainda que blockchain é uma tecnologia de base e não usa solução completa, portando ela, necessariamente, precisa estar 'acoplada' em outras aplicações para se tornar uma solução de mercado

“Quando se trata de Blockchain, há a suposição implícita de que a tecnologia de nível básico não está muito distante de uma solução completa. Esse não é o caso. O conceito básico ajuda a visualizar o Blockchain como um protocolo para executar uma determinada tarefa dentro de um aplicativo completo. Ninguém presumiria que um protocolo pode ser a base única para todo um sistema de comércio eletrônico ou uma rede social”, explica.

Como noticiou o Cointelegraph, a maior companhia de exploração de petróleo do Brasil e uma das maiores do mundo, a Petrobrás, está usando uma solução em blockchain desenvolvida pelo Banco do Brasil, para realizar pagamentos.

A solução faz parte do SBP (Sistema Brasileiro de Poderes) que é uma solução que usa blockchain para definir, junto aos clientes corporativos, quem pode movimentar o dinheiro da empresa. A iniciativa tem sido explorada com diversos clientes, entre eles a Petrobras, que identificou, entre outros, uma economia no tempo dos processos envolvendo estas transações.