Com o preço do Bitcoin neste valor, diga adeus para a mineração amadora de BTC, destaca RRMiner

A queda recente no preço do Bitcoin que tirou a principal criptomoeda do mercado do patamar de US$ 9 mil e levou o BTC a ser negociado em torno de US$ 7 mil deve 'acabar' com a mineração amadora, segundo Yung Cheng Tsou, CEO da RRMine.

De acordo com Tsou, o custo de energia está intimamente ligado a atividade de mineração de Bitcoin e, fora da China, apenas algumas nações oferecem uma boa relação entre custo e fornecimento estável de energia, além disso, o preço atual não é mais rentável para mineradores com Antminer S9, considerado o "Rei dos equipamentos de mineração".

Desta forma, sem dinheiro para atualizar seus hardwares e com pouca rentabilidade muitos mineradores individuais e amadores que entraram para a indústria de mineração de Bitcoin em 2017 e 2018 com S9, devem desligar seus equipamentos e 'abrir' espaço para mineradores institucionais, que, no decorrer dos anos, devem dominar 100% da mineração de BTC.

"Todos sabemos que o preço do Bitcoin caiu e o retorno da mineração do Bitcoin diminuiu. Forçou os mineradores a atualizar rapidamente seu hardware e desligar seus S9s. Isso será muito difícil para mineradores individuais; Mais investidores institucionais entrarão no jogo. O setor de mineração está se tornando um playground para as grandes empresas, pois elas têm melhores máquinas e fonte de eletricidade mais barata. Afinal, o núcleo da competição de mineração está no preço da energia", destacou.

O F2pool um dos principais pools de mineração de Bitcoin, também destacou recentemente que o 'reinado' do S9 pode acabar se o preço do BTC ficar abaixo dos US$ 7 mil. Cerca de 60% do poder de computação do Bitcoin seja processado por meio do Antminer S9.

Em busca de criar uma alternativa para que mineradores individuais ainda possam investir no mercado de mineração a Bitmain lançou em setembro o Mapa Mundial de Mineração Digital (WDMM) que pretende conectar fazendas de mineração com pequenos e médios mineradores que podem investir em equipamentos mas tem dificuldades na gestão das máquinas.

Com o WDMM a Bitmain pretende criar um 'marketplace' de mineração para que investidores possam comprar as máquinas e escolher as melhores fazendas para alocar seus equipamentos.

Já empresas como RRMiner, acreditam que a melhor forma de manter os pequenos investidores no mercado de mineração é por meio da plataformas de mineração em nuvem, "O baixo preço da energia permite que nossa plataforma forneça serviços estáveis. A mineração digital está passando por uma transformação industrial e haverá, entre as startups unicórnio, uma de hashrate de Bitcoin", disse.

Como noticiou o Cointelegraph, mineradores em sua maioria chineses já planejam desligar parte de seus equipamentos de mineração se o preço do Bitcoin cair abaixo de US$ 7500. De acordo com informações, modelos de mineração mais antigos, como o Whatsminer M3 e o Avalon A741, já não são mais rentáveis com a recente baixa e outros modelos como Ebit E9 +, Antminer T9 +, Avalon A821, devem ser desligados se o preço permanecer abaixo de US$ 7.500 pois trariam prejuízo na atual dificuldade da rede.

Confira mais notícias