Cidade chinesa de Guangzhou emite licença comercial usando blockchain e IA

A grande cidade chinesa Guangzhou emitiu uma licença comercial usando tecnologia blockchain e de Inteligência Artificial (IA), como informou a agência de notícias local Sohu em 22 de abril.

A licença foi emitida pelo centro administrativo do distrito de Huangpu, Guangzhou, e representa a primeira licença comercial baseada em blockchain e IA da China, de acordo com a agência.

A descrição da licença, apresentada como “escaneie o código e inicie a empresa em um clique”, diz que ela permitiria a não apenas registrar uma aplicação, mas também abrir uma conta bancária e emitir uma aplicação de fatura de impostos usando o mini-programa WeChat.

De acordo com a reportagem, ao usar blockchain e IA, o distrito de Huangpu lançou piloto de sua plataforma blockchain de serviços comerciais que  reduziria o tempo de envio de lances e ajuda a evitar envios repetidos, além de fornecer uma maneira mais fácil para as empresas se formarem.

Na metade de março, a primeira fatura eletrônica da China baseada em blockchain para uma corrida de transporte público foi emitida pelo metrô de Shenzhen através de projeto desenvolvido pela Divisão de Municipal de Impostos de Shenzhen e pela gigante de tecnologia chinesa Tencent, que forneceram o back-up da tecnologia blockchain através do WeChat.

 No fim de 2019, o Cointelegraph publicou que Guangzhou, juntamente com Beijing e Shanghai, tornou-se uma das maiores áreas concentradas de legislação blockchain relevante na China. Anteriormente, Guangzhou foi selecionada como sede de uma nova aliança blockchain que envolveria 54 empresas focadas no uso de blockchain em finanças, comércio e fundos.

Recentemente, o diretor-executivo do Blockchain Research Institute Donald Tapscott previu que a moeda oficial da China, o Renminbi (RMB), irá se tornar uma criptomoeda.