Ex-jogador Zamorano e outras personalidades chilenas têm imagem usada em golpe com criptomoedas

Diversas figuras públicas do Chile vieram a público para denunciar o uso indevido de imagem em uma série de "fake news" relacionadas às criptomoedas que teriam sido espalhadas nas redes sociais do país sul-americano, como publicou a rede local La Tercera em 26 de fevereiro. 

O mais recente envolvido na polêmica foi o empresário Horst Paulmann, dono da gigante varejista Cencosud, que seria vítima de uma notícia falsa. 

Segundo o La Tercera a notícia falsa dizia que o dono da Cencosud teria fechado um acordo de US$ 250 milhões em Bitcoin Future. Além disso, ele teria dito que o Bitcoin (BTC) chegaria a US$ 41.000 por unidade diante dos quase US$ 4.000 atuais. O empresário negou as declarações ao La Tercera.

Paulmann é mais um a ver sua imagem envolvida indevidamente em publicidade falsa sobre criptomoedas no Chile. Outros casos envolveram a empresa suspeita Crypto Revolt, empresa que o site ScamCryptoRobots.com classificou como “fraude”. Somente no Chile, outras três pessoas públicas tiveram imagens indevidas utilizadas em fake news.

A rede publicou a partir do fim do ano passado diversos casos, envolvendo o ex-jogador de futebol da seleção chilena Iván Zamorano, o vice-presidente do Banco do Chile Andrónico Luksic e até o Ministro da Fazenda do país Felipe Larraín.

Zamorano foi o primeiro a denunciar para o La Tercera o uso de sua imagem em “fake news”, denunciando uma publicidade com uma notícia seguida do comentário: “a lenda do futebol nos conta como se recuperou da falência e fez uma grande fortuna”. 

O ex-atacante da seleção chilena publicou em suas redes sociais que a publicidade “chama e convida as pessoas a investir com eles e transformarem-se em milionários aludindo a minha situação pessoal”.

Depois dele, o vice-presidente do banco do Chile também viu seu nome envolvido em uma suposta entrevista para o programa “Bienvenidos” do Canal 13 local recomendando a plataforma da Crypto Revolt. Ele reagiu no Twitter: 

“Isso é totalmente falso! Não dei essa entrevista, jamais fui ao [programa] Bienvenidos, nunca investi em Bitcoins e jamais recomendaria um investimento desses, muito menos uma plataforma assim. Por favor, não se deixem enganar! (...) Fake News!”.

A notícia falsa sobre o ministro da fazenda chileno, Felipe Larraín, dizia “Felipe Larraín Bascuñán investe CLP$ 4. bilhões em uma nova empresa que pode te fazer rico (se nasceu entre os anos 1950 e 1990)!”, escreveu. O ministério não comentou a notícia, segundo a publicação.

Além das figuras públicas chilenas, a Crypto Revolt já foi acusada de uso indevido de imagem pelo ex-primeiro-ministro da Nova Zelândia, John Key, sendo definida pela mídia do país como uma “fraude” e sua publicidade classificada de “fake news”, como o Cointelegraph noticiou em janeiro deste ano.