Chainalysis capitaliza US$ 6 milhões em financiamento de Série B de dois pesos-pesados japoneses

A empresa de inteligência baseada em blockchain dos EUA Chainalysis levantou mais $6 milhões de dois grandes investidores japoneses, confirmou a empresa em um post no blog oficial de 16 de abril.

A Chainalysis, que assegurou US$30 milhões no começo de sua rodada de financiamento Série B em fevereiro, deu pistas que iria focar no mercado japonês no futuro com objetigo de agregar sua tecnologia de compliance aos bancos e outras instituições financeiras.

Por trás da última injeção de investimento estavam a Mitsubishi UFJ Financial Group (MUFG) e a empresa de investimentos Sozo Ventures, com a anterior já sendo uma empresa notavelmente ativa no espaço blockchain.

“A tecnologia de compliance da Chainalysis é importante para oferecer controles de insight e lavagem de dinheiro que os bancos precisam para estabelecer a próxima geração de estruturas de compliance”, comentou Nobutake Suzuki, presidente e CEO da MUFG Innovation Partners, no post. Ele completou:

“O anúncio de hoje sinaliza nosso comprometimento conjunto com o crescimento da indústria de criptomoedas no Japão e na Ásia-Pacífico, de forma mais palatável e abrangente.”

Como publicou a Reuters, o rendimento contratado do Chainálisis aumentou 16 vezes só no ano passado. O Japão, em particular, está interessado em tornar seu ecossistema cripto o mais robusto possível, à medida que os reguladores começarem a promover novas exchanges licenciadas este mês.

“Estamos buscando abrir um escritório no Japão talvez no próximo ano, mas não temos um cronograma específico", disse à publicação o CEO da Chainalysis, Michael Gronager.

No começo do mes, a empresa contestou publicamente as demandas regulatórias planejadas para exchanges pela organização internacional Financial Action Task Force, que convocou os participantes do mercado a manter dados abrangentes sobre remetentes e destinatários de transações.

Nesta semana, enquanto isso, outro investimento japonês foi revelado através do ST Blockchain Fund, com apoio de US$ 200 milhões para a empresa-mãe da exchange sul-coreana Bithumb, Blockchain Exchange Alliance.