Ripple e R3 são motivos para otimismo na indústria cripto, afirma CEO da holding financeira SBI

Yoshitaka Kitao, CEO da SBI Holdings, gigante dos serviços financeiros do Japão, afirmou que o Ripple (XRP) e o consórcio blockchain R3 são razões para permanecer otimista sobre o futuro da indústria de criptomoedas - apesar do mercado em baixa. Kitao fez seus comentários durante uma entrevista ao Coin Post, emissora japonesa de notícias cripto nesta última segunda-feira, 18 de fevereiro.

A SBI Holdings é uma parceira ativa do Ripple através de sua joint venture 'SBI Ripple Asia', criada para promover o uso de XRP nos mercados financeiros asiáticos em 2016.

Em sua entrevista ao Coin Post, Kitao ressaltou que a prolongada crise do mercado de criptomoedas não deve ser pensada como um fim para a indústria, e que a SBI tem trabalhado intensamente para promover a adoção da XRP entre instituições financeiras.

Ele afirmou que a demanda real pelo uso do ativo nas remessas e liquidações internacionais já está em andamento e continuará crescendo - dando como exemplo o uso que o Santander faz das plataformas xCurrent e RippleNet movidas pela blockchain do Ripple para pagamentos internacionais. 

Além de prever que o Ripple se tornaria um padrão global, Kitao também fez comentários positivos em relação ao consórcio de blockchain corporativo R3 - do qual a SBI é um membro e maior acionista externo - e à plataforma R3 Corda.

Em relação às disputas legais agora resolvidas entre o R3 e o Ripple, Kitao disse que encorajou os dois ex-rivais ostensivos a cooperarem em uma joint venture e foi otimista sobre o impacto potencial do 'Corda Settler' - plataforma de pagamento universal do R3, que revelou o XRP como sua primeira cripto suportada em dezembro.

Entre as observações mais amplas, Kitao disse que julgou que a "temperatura dos investidores institucionais [em relação às criptomoedas] é extremamente quente", observando que a vigilância e os dados em tempo real sobre o mercado das criptos estão melhorando, bem como serviços de compensação.

Kitao disse esperar que o Japão encabece a regulação das criptomoedas à frente de outros mercados globais, como os Estados Unidos. Ele observou que a SBI aguardava mais clareza legislativa do órgão regulador do Japão, o Financial Services Agency, antes de lançar seu próprio fundo cripto para investidores institucionais.

Como informado anteriormente, nos últimos dois anos a SBI buscou diferentes empreendimentos no setor de criptomoedas, incluindo sua própria central - a VCTRADE - juntamente com uma série de investimentos em empresas que desenvolvem infraestrutura e serviços na esfera cripto. A holding também tem sua própria iniciativa blockchain. o S coin plataforma, que foi testada para pagamentos de varejo em setembro de 2018, integrando a tecnologia R3 Corda.

Em janeiro, a SBI publicou seu relatório financeiro de nove meses, que identificou a implementação das tecnologias R3 e Ripple como parte importante de sua estratégia.

Em outubro de 2018, o aplicativo de pagamento da SBI baseado em Ripple XRP, o MoneyTap, entrou em operação para correntistas em bancos japoneses selecionados - com a eventual ambição de incluir um consórcio de 61 instituições (representando mais de 80% de todos os ativos bancários do Japão) no serviço.