Pesquisadores afirmam ter desenvolvido um chip que permite um tipo de criptografia inquebrável

Uma equipe de pesquisadores afirma que o protótipo de um chip de silício desenvolvido por eles permite criptografia impossível de quebrar. De acordo com um artigo publicado em 20 de dezembro pela revista científica Nature, o sistema usa pacotes de ondas caóticos em semicondutores convencionais à base de silício.

O chip foi desenvolvido por cientistas da Escola de Física e Astronomia do Reino Unido, da Universidade de St. Andrews, da Universidade de Ciência e Tecnologia King Abdullah, na Arábia Saudita, e do Center for Unconventional Processes of Sciences da California

O artigo explica que os padrões de criptografia convencionais - nos quais as criptomoedas se baseiam - podem se tornar obsoletos em breve devido aos desenvolvimentos na computação quântica.

Acredita-se amplamente que os computadores quânticos seriam capazes de quebrar os algoritmos de criptografia tradicionais em um curto período de tempo. Isso é visto por muitos como uma grande ameaça às criptomoedas.

Em novembro, Xinxin Fan, chefe de criptografia e privacidade na plataforma de blockchain IoTeX, focada em IoT, disse que a comunidade deveria trabalhar para lidar com essa ameaça imediatamente.

Uma nova visão de uma solução antiga

O sistema idealizado pelos pesquisadores baseia-se na idéia de um one-time pad (OTP), patenteado pelo engenheiro Gilbert Vernam em 1919, depois de ser criado em 1882. Os OTPs são famosos porque não podem ser quebrados, mas requerem um uso único.

Apesar da segurança do sistema, os OTPs não são adotados devido à falta de uma maneira prática e segura de trocar as chaves. No entanto, o chip desenvolvido pelos pesquisadores tenta fazer uma implementação prática do OTP, que afirma:

“Desenvolva uma realização física do OTP que seja compatível com a infraestrutura de comunicação óptica existente e ofereça segurança incondicional na distribuição de chaves.”

Os chips usam a física tradicional e as leis clássicas da física, incluindo a teoria do caos e a segunda lei da termodinâmica. As chaves usadas para descriptografar os dados nunca são armazenadas ou comunicadas com a mensagem.

Como o Cointelegraph relatou em outubro, o autor de "Mastering Bitcoin", Andreas Antonopoulos, disse que os recentes avanços na computação quântica por parte do Google não são uma preocupação imediata para a comunidade Bitcoin (BTC).