Carrefour pode receber Bitcoin como pagamento em processo judicial no Brasil

A rede global de varejo Carrefour, pode 'ganhar' o seu primeiro Bitcoin por conta de um processo aberto por uma unidade da rede no Brasil, de acordo com uma decisão publicada no dia 04 de junho no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

No processo, a unidade do Carrefour localizada na Estrada do Pêssego nº 1200, São Paulo, alega que alugou um "Box" para José Valdetino Conceição abrir uma loja de calçados, no entanto, ao longo do contrato, o locatário, segundo o varejista, não efetuou os pagamentos necessários e foi convidado a desocupar o box.

Mesmo com a desocupação, Conceição, não efetivou os pagamentos o que obrigou o varejista a iniciar uma processo que culminou na decisão publicada no Diário Oficial que oficiou as exchanges  Mercado Bitcoin Serviços Digitais, FoxBit e a suposta pirâmide financeira, Kriptacoin. O oficio tem por finalidade verificar se o réu possui ativos nas respectivas plataformas que podem ser usados para saldar a dívida com a rede varejista.

"Assim, como medida coercitiva objetivando a efetivação da presente execução, defiro: 1) o pedido para que se oficie ao Mercado Bitcoin Serviços Digitais, WS Corporate Soluções em Tecnologia - ME (Kriptacoin) e Fox Bit para que informem se o executado possui rendimentos em suas carteiras, desde que a parte providencie os endereços para respectivas comunicações", diz a decisão.
 

Caso seja identificado que o réu possui criptoativos nas plataformas a justiça pode pedir o bloqueio das criptomoedas e exigir que elas sejam liquidadas para honrar os compromissos do suposto devedor ou então o juiz pode decidir pela transferência dos criptoativos para a varejista de acordo com o valor da dívida em fiat.

O Cointelegraph noticiou em 03 de junho que o Carrefour viu um aumento nas vendas após a implementação de um sistema de rastreamento baseado em blockchain.