ONU destaca desenvolvedora brasileira que usa blockchain para rastrear biodiversidade

A brasileira Bárbara Schorchit, que criou uma plataforma blockchain para rastreamento da biodiversidade e aplicação em produtos para o consumidor final, foi destaque no site da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira (13).

Schorchit, que foi entrevistada pelo Cointelegraph Brasil recentemente, é a finalista latinoamericana do prêmio Jovens Campeões da Terra, iniciativa da ONU Meio Ambiente para destacas jovens empreendedores à frente de soluções inovadoras ligadas à sustentabilidade.

A empresa Genecoin, criada por Bárbara Schorchit, é parceira do Grupo Votorantim para a exploração e rastreamento do bioma da mata atlântica, com planos ainda de expansão para outros parceiros ainda em 2019.

A plataforma usa blockchain e machine learning para rastrear a biodiversidade, trazendo mais confiança, segurança jurídica e transparência para as cadeias de suprimento, destaca o site da ONU.

A empreendedora brasileira destacou o impacto social que a tecnologia traz para as comunidades locais e para o consumidor final:

"Quando uma empresa encontra uso comercial na biodiversidade, vai querer voltar a explorar e, em muitos casos, pode criar uma economia de cultivo e extração responsável com as comunidades locais. Outro fator [...] é a demanda do consumidor. [...] Sistemas como o nosso permitem ao consumidor identificar a origem dos produtos e a distribuição dos benefícios."

Schorchit ainda destacou que considera que a Genecoin começou no "lugar perfeito", ressaltando a diversidade biológica do Brasil. Os próximos passos, segundo ela, será trazer "outras empresas de diferentes setores que também desejam usufruir da biodiversidade brasileira de forma sustentável, transparente e em conformidade com as leis".