Especialista brasileiro alerta para práticas que podem evitar golpes com criptomoedas

O empresário brasileiro Rudá Pellini deu entrevista ao jornal O Dia, defendendo uma série de medidas para ajudar investidores a eliminar riscos na hora de investir em criptomoedas.

O empresário, que atua no mercado de criptomoedas desde 2015, elencou cinco conselhos para ajudar investidores a não caírem em fraude. Em resumo, as dicas se resumem a educação e conhecimento mais profundo sobre o mercado, aliados a responsabilidade e controle emocional.

"Se a proposta de rendimentos oferece ganhos altos ou resultados rápidos e certos, há grande chance de ser um golpe", alerta o especialista.

"Duvide sempre", diz Pellini, indicando também que o investidor deve fazer pesquisas sobre as empresas nas quais pretende investir, junto à CVM (órgão regulador do governo brasileiro) ou até no site de avaliação da reputação junto ao consumidor Reclame Aqui. 

Outra dica é calcular juros e prever onde as promessas de retorno poderiam, alternativamente, levar o investidor. "Mil reais aplicados com rendimento de 15% ao mês, com juros compostos, se transformariam em R$ 4,3 milhões em 5 anos e o investidor seria bilionário em 10 anos. Isso é possível?", pergunta ironicamente o empresário.

Por fim, ele ressalta que os investidores não devem ter medo de perguntar, e não devem tomar decisões baseadas na emoção, como no caso de histórias de sucesso contadas por promotores de investimentos prometendo grandes retornos rapidamente. "É preciso cautela e saber filtrar a informação", finaliza.

O Cointelegraph publicou recentemente uma matéria que informa mais de US$ 1,2 milhões já foram roubados neste ano através de fraudes cripto envolvendo desde ameaças à bomba até extorsão sexual.