Exchange brasileira de Bitcoin e criptomoedas Bitjá encerra atividades

A exchange brasileira de Bitcoin e criptomoedas Bitjá, anunciou, nas redes sociais que irá encerrar suas atividades. Segundo o comunicado divulgado hoje, 10 de setembro, a plataforma não vinha sendo "suficientemente lucrativa" para o atuar no mercado nacional.

A Bitjá oferecia suporte a 20 criptomoedas, Bitcoin, Cardano, Ethereum, Litecoin, Ripple, Dash, Decred, EOS, BRZ Token, Augur, Bitcoin Cash, BitTorrent, IOTA, NEO, Nuls, Tron, TUSD, USDC e VeChain.

Como parte da política de encerramento da companhia a empresa publicou um roteiro para retirada dos fundos custodiados na plataforma. As atividades serão paralizadas no dia 30 de setembro. Confira o comunicado.

"Foi um prazer tê-los conosco

Ao longo do último ano trabalhamos diariamente para trazer liquidez e simplicidade ao mercado brasileiro, apresentando uma abordagem menos especulatória sobre a compra e venda de criptoativos e aproximando os usuários de vários projetos que admiramos.

Apesar disso, não conseguimos tornar a ferramenta suficientemente lucrativa ao brigar por espaço em um mercado já tão disputado. Por fim, a tendência de regulações cada vez mais pesadas sobre as operações nos afasta do nosso ideal e gera um custo cada vez maior para simplesmente existir.

Montamos um calendário para que a transição seja rápida para os nossos clientes, que sempre 
valorizamos muito. É importante reforçar que todos os saques seguem com prazos normais e que não tivemos qualquer problema técnico ou operacional, estamos apenas tomando a decisão estratégica de buscar outros caminhos para fortalecer o mercado cripto no Brasil.

Assim, o calendário de encerramento do nosso broker é o seguinte:

04/09/2019 - Desativaremos as opções de depósito, qualquer depósito pendente que tenha sido feito será aprovado normalmente quando for compensado
10/09/2019 - Prazo final para realizar operações de compra e venda na plataforma
30/09/2019 - Prazo final para solicitar os saques de criptoativos ou reais pela plataforma

Depois disso, os saques poderão ser solicitados por formulário específico que será disponibilizado no endereço habitual.

Vale relembrar que nosso prazo para processamento de saques e depósitos é de um dia útil após a confirmação.

Somos gratos por todos que cruzaram nosso caminho nessa jornada e seguimos à disposição da comunidade como sempre estivemos.

Foi um prazer tê-los conosco,
Equipe BitJá."

Como noticiou o Cointelegraph, com relação a exchanges, a Gemini, que tem sede em Nova York e foi fundada em 2014 pelos irmãos gêmeos Cameron e Tyler Winklevoss, lançou seu próprio serviço de custódia, o Gemini Custody.

A Gemini afirma que a recém-lançada solução de custódia permitirá que seus clientes verifiquem saldos, baixem extratos de conta, façam saques e concedam aos auditores acesso apenas para visualização para confirmar saldos, transações e atividades. Os clientes também poderão negociar seus ativos sob custódia na exchange Gemini sem esperar que sejam transferidos do armazenamento a frio.

A Gemini Custody supostamente suporta 18 criptomoedas, incluindo Bitcoin (BTC), Bitcoin Cash (BCH), Ether (ETH), Litecoin (LTC) e Zcash, bem como os seguintes tokens ERC-20: 0x (ZRX), Augur (REP), Basic Attention Token (BAT), Bread (BRD), Dai (DAI), Decentraland (MANA), Enjin (ENJ), Flexacoin (FXC), Gemini dollar (GUSD), Kyber Network (KNC), Loom Network (LOOM), Maker (MKR) e OmiseGo (OMG).