Banco Central do Brasil desenvolve plataforma de compartilhamento de dados blockchain para reguladores financeiros

 

O banco central do Brasil criou uma plataforma de registro digital que permitirá o compartilhamento de dados entre os reguladores financeiros, informou a Finextra hoje, 20 de junho.

O ledger, denominado Plataforma de Integração de Informação para Reguladores (Pier), será utilizado pelos órgãos reguladores para trocar informações sobre os processos de autorização geral das instituições financeiras, desde os processos administrativos até a conduta dos funcionários. Informações adicionais não relacionadas a processos de sanção administrativa também podem ser compartilhadas se o interesse mútuo for mostrado.

Pier, desenvolvido pelo departamento de TI do Banco Central do Brasil (Deinf), ligará a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a Autoridade Nacional de Previdência Complementar (Previc). A plataforma está atualmente em teste alfa, com planos para entrar em operação no final de 2018.

O vice-chefe da Deinf, Aristides Cavalcante, disse em um comunicado que o ímpeto de desenvolver uma plataforma blockchain veio dos benefícios do compartilhamento horizontal de informações, acrescentando que

“Além disso, como a plataforma blockchain registra todas as solicitações de dados usando assinaturas criptográficas, é possível certificar a qualquer momento a autoria e que nenhuma entidade adulterou os dados e, assim, garantir a autenticidade da informação”.

Em abril, a Cointelegraph publicou um especialista sobre como um esquema de lavagem de dinheiro em criptomoedas presidencial levou o Brasil a implementar mais tecnologia blockchain, especificamente com o uso de documentação de financiamento na blockchain da Ethereum (ETH).