Painel Bloomberg: Bitcoin é mais atraente em tempos de incerteza global

John Pfeffer, fundador da Pfeffer Capital, juntamente com Travis Kling, fundador e CIO da Ikigai Asset Management e Charles McGarraugh, chefe de mercados da Blockchain, discutiram o Bitcoin (BTC) no contexto do Brexit, guerras comerciais e incertezas geopolíticas.

Em 20 de novembro, o painel com os três acima citados, tendo como mediador Alastair Marsh, da Bloomberg, no briefing Future of Digital Assets em Londres, analisou mais de perto a ideia de que o Bitcoin se torna mais atraente como investimento em tempos de incerteza global .

Bitcoin a melhor reserva de valor?

(1:20) Charles McGarraugh começou a conversa concordando com a ideia de que o BTC se torna realmente mais atraente durante ameaças de recessões e tempos globais de incerteza em geral. "Eu acredito totalmente nessa ideia", disse ele.

(3:12) John Pfeffer continuou dizendo que o BTC está prestes a se tornar ouro digital. "Cedo ou tarde isso vai acontecer", disse Pfeffer, apontando que se o BTC já fosse considerado o ouro digital de hoje, a vantagem do BTC não seria a mesma, pois valeria pelo menos uma ou duas vezes a mais . Ele adicionou:

“Pensamos no BTC em nosso portfólio, que entra na seção de empreendimentos. [...] É um empreendimento que aspira a se tornar ouro digital e mostra grande promessa de fazê-lo. Porque ainda não fez isso, [...] há muitas vantagens, mas também desvantagens. "

(5:35) Travis Kling dá talvez a resposta mais direta, quando diz que o Bitcoin é um ativo de risco, com características específicas de investimento "que se torna cada vez mais atraente, quanto mais a política monetária e fiscal dos bancos centrais e governos do mundo inteiro se torna irresponsável". adicionando:

"Hoje, os investidores no BTC não estão investindo no Bitcoin como uma reserva de valor, estamos especulando que ele pode se tornar uma reserva de valor porque tem as características de ser uma boa reserva de valor".

(11:00) Kling ressalta ainda que, se os Estados Unidos ainda estavam no padrão ouro e equilibravam seu orçamento todos os anos, em vez de gastar um trilhão de dólares a mais do que arrecadam, "talvez não precisemos tanto de Bitcoin", como Kling coloca, "esse não é o mundo em que vivemos".

O crescimento da dívida interna dos EUA não é sustentável

Em novembro, o chefe do Federal Reserve dos Estados Unidos, Jerome Powell, observou que atualmente a dívida nacional dos EUA está crescendo mais rápido que o PIB nominal. Ele admitiu que a atual política econômica não é sustentável, mas que não é sua tarefa consertá-la. "Em última análise, a longo prazo, esse não é um lugar sustentável", disse ele.

A dívida dos EUA agora chegou a US$ 23 trilhões, o que representa US$ 70.000 por cidadão, ou mais de US$ 1 milhão para cada Bitcoin que existirá.