Patente de Blockchain concedida à empresa de segurança cibernética que trabalha para o departamento de defesa dos EUA

Documentos publicados pelo Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos (USPTO) em 16 de abril revelam que a empresa de cibersegurança do Texas, Forcepoint, recebeu uma patente relacionada ao blockchain.

A Forcepoint é de propriedade da empresa de defesa Raytheon e da empresa de private equity Vista Equity Partners, e a Crunchbase estima que sua receita anual seja de US$ 600 milhões.

O sistema descrito na patente parece ser um complexo sistema de monitoramento e gerenciamento de comportamento do usuário. O sistema visaria armazenar dados sobre interações de usuários observáveis ​​eletronicamente e, em seguida, usar esses dados para identificar ações de usuários boas, anômalas e mal-intencionadas conhecidas para melhorar a segurança cibernética do sistema.

Algumas versões do sistema empregam tecnologia blockchain, de acordo com a patente:

“Em certas formas de realização, a associação do contexto adicional pode ser realizada através de um bloco de blockchain dentro de um blockchain de perfil de comportamento do usuário [...] implementado com o registro de tempo apropriado para permitir a versão com o passar do tempo."

Além disso, a patente também oferece a possibilidade de armazenar dados de comportamento do usuário diretamente no blockchain, observando que as vantagens da solução são imutabilidade e inviolábilidade.

Como a Cointelegraph informou recentemente, o gigante de pagamentos digitais PayPal ganhou uma patente de segurança cibernética para proteger os usuários do ransomware de criptomoedas.

Além disso, no início do mês atual, a empresa de consultoria global Accenture patenteou duas soluções focadas na interoperabilidade blockchain.