Blockchain é parte da inovação do Banco Itaú, diz executivo

O banco Itaú, um dos principais bancos do Brasil, destacou que blockchain é uma das peças importantes na extruturação da digitalização da instituição financeira, conforme reportagem do jornal Valor, publicado em 14 de agosto.

Segundo a reportagem, blockchain dará suporte à transformação digital do banco, de acordo com Alexsandro Broedel, diretor executivo de finanças e relações com investidores do Itaú.

“A tecnologia blockchain tem potencial bastante relevante para ser usada na atividade bancária. Não só estamos pensando em usar essa tecnologia como já estamos usando o blockchain no banco”, afirmou Broedel, durante teleconferência com analistas e investidores nesta terça-feira para falar sobre o resultado da Itaúsa, holding que controla o Itaú.

O Valor destaca  ainda que o  executivo disse também que a decisão foi de não abrir um banco totalmente digital para competir com novos concorrentes, mas fazer a transformação do próprio Itaú.

“O banco age no sentido de digitalizar produtos, processos e canais, visando ganhar agilidade e oferecer uma experiência para o cliente mais em linha com a realidade”, afirmou Broedel. O executivo acrescentou que a companhia tem feito uso de ferramentas para análise de grandes volumes de dados (“business analytics”) para desenvolver os serviços digitais do banco. O Itaú também tem trabalhado para deixar seus sistemas mais leves e mais fáceis de operar, disse Broedel.

Como reportou o Cointelegraph, a Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP) e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) anunciaram em junho, durante o evento Ciab Febraban, o lançamento da primeira rede blockchain do setor financeiro nacional.

Trata-se de da primeira plataforma baseada em blockhain para conectar diferentes instituições financeiras. 

A primeira aplicação da nova rede é o "Device ID", que permite o compartilhamento de um conjunto de informação dos usuários de bancos e instituições financeiras, para com isso criar uma camada nova de segurança para sistemas antifraude e de identificação.

O sistema já esta funcionado e sendo utilizado por nove bancos - Banrisul, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa, Itau, Jp Morgan, BAnco Original, Santender e Sicob - mas segundo o anuncio oficial, já há outros bancos buscando integração à rede, que teve como grande desafio, segundo a CIP, aspectos de governança.