Blockchain pode ser usada na biometria para segurança de viagem, afirma representante das alfândegas dos EUA

Usar blockchain para rastreamento biométrico seria o aplicativo matador da tecnologia no setor de segurança de viagens, de acordo com um representante da agência de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP). A notícia foi divulgada pelo meio de comunicação da indústria de viagens Skift em 21 de março.

Sikina Hasham, gerente de programa do CBP, fez suas observações durante um painel na Cúpula de Tecnologias de Risco em Viagem Blockchain da JetBlue em Nova York na quarta-feira.

Em resposta a uma pergunta do moderador do painel David Post - diretor administrativo da IBM Blockchain Ventures - Hasham disse que uma área de significativa promessa para o uso do blockchain pelo governo reside em sua conjunção com a biometria:

“Uma área em que obtivemos uma quantidade significativa de sucesso é a comparação facial e dados biométricos. Há um serviço que criamos para verificar quem é o indivíduo que embarca em uma aeronave que deseja entrar nos Estados Unidos. Se pudéssemos ter mais dados para a verificação de outra parte do governo, isso seria ótimo para nós.”

No entanto, observou Hasham, um obstáculo significativo ainda precisa ser superado para que a tecnologia ganhe força e forneça o máximo valor de uso: o desenvolvimento de especificações padronizadas para comunicação entre os sistemas blockchain de várias organizações.

Se os governos quiserem implementar a blockchain, em vez de bancos de dados legados, para compartilhar dados em áreas-chave de segurança, como o controle de fronteiras, os padrões robustos para a indústria seriam, portanto, um fator crucial de ativação, sugeriu Hasham. Ela também observou um outro desafio que o governo está alegadamente enfrentando, afirmando que:

“Nosso principal objetivo é a segurança, mas também facilitar o comércio e as viagens. A blockchain é relativamente nova para nós do [...] setor de viagem, ainda estamos trabalhando para descobrir como as partes interessadas no setor de tecnologia nos ajudarão. [...] Privacidade e informações descentralizadas são alguns dos desafios que nós, como organização do governo, temos a obrigação legal de proteger”.

Conforme relatado, o Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS) recentemente apelou para startups que desenvolvem soluções blockchain que podem ajudar a evitar a falsificação de documentos digitais, a fim de atender às necessidades da missão de vários programas sob sua égide, entre elas, a CBP.

A CBP já está testando um sistema de rastreamento de envios blockchain para medir o quanto a tecnologia é capaz de melhorar o processo de verificação de certificados de origem de vários parceiros de acordos de livre comércio.

O acoplamento da blockchain com biometria está sendo desenvolvido em diversas aplicações, incluindo eleições municipais, caixas eletrônicos seguros e dispositivos biométricos da Internet das Coisas no setor de saúde.