Blockchain pode garantir a segurança dos órgãos públicos no Brasil, diz Diretor do Serpro

Nesta semana, foi realizada o Fórum RNP 2019 - Desafios da Transformação Digital no Ensino e na Pesquisa e o Serpro, empresa pública responsável por projetos de blockchain do Governo Federal, esteve presente no evento abordando, entre outros, a potencialidade da tecnologia blockchain.

Conforme um comunicado, a empresa apresentou alguns de seus desenvolvimentos como o  VioProIDSerpro TeamworkbConnect e Infovia. A solução bConnect, por exemplo, emprega blockchain e será usada na esfera governamental para troca de informações entre países do Mercosul.

No evento, Marco Túlio Lima, especialista em blockchain do Serpro, destacou que a tecnologia pode ter vários usos, e garante a segurança para cada órgão que a adotar. "E o bConnect é uma solução construída em conjunto, por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai”, acrescentou Marco Túlio, que participou do painel Blockchain, aplicações e permuta de ativos.

O Serpro também participou do debate sobre redes de governo, com o representante Weldson Lima, gestor de produto de rede da Diretoria de Operações:
 


Outro assunto abordado, em painel no evento e no estande do Serpro, foi a LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, que terá impacto em todos os setores, inclusive nos de ensino e de pesquisa.

Como reportou o Cointelegraph,  os projetos de blockchain da Receita Federal podem estar ameaçados pela recente notícia das companhias que serão privatizadas pelo Governo Federal, segundo publicação na Folha de São Paulo feita hoje 22 de agosto.

As empresas federais foram incluídas no amplo programa de privatizações do governo que pretende conceder à iniciativa privada, presidios, escolas, creches, parques nacionais, além de importantes empresas públicas brasileiras:

"Telebras, Correios, ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias), Emgea (Empresa Gestora de Ativos), Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social), Ceagesp, Ceitec (Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada), porto de Santos, Eletrobras, CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), Trensurb (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre), Ceasaminas (Centrais de Abastecimento de Minas Gerais), Codesa (Companhia Docas do Espírito Santo), Casa da Moeda e a Lotex, responsável pelas raspadinhas, também será concedida, assim como a venda de participação da União no Banco do Brasil "