BitPay bloqueia doação de $100K em Bitcoin para a fundação de caridade contra incêndio na Amazônia

A controversa processadora de pagamentos de criptomoedas BitPay está enfrentando outro pesadelo de relações públicas após a empresa rejeitar uma doação de US$ 100.000 para uma instituição de caridade da Amazônia.

BitPay leva a Amazon Watch ao beco sem saída de conformidade

De acordo com uma reclamação nas redes sociais da Amazon Watch, uma organização que busca apoiar a ecologia na floresta amazônica e os povos indígenas, o pagamento não passou nas verificações internas da BitPay.

O aspirante a doador estava tentando contribuir devido aos contínuos incêndios florestais na Amazônia, sugere a instituição de caridade, mas não conseguiu concluir o pagamento em Bitcoin (BTC).

As autoridades tentaram entrar em contato com a BitPay, mas não receberam resposta, disseram eles.

“Queremos entrar em contato com essa pessoa para resolver esse problema, mas não temos como fazer isso. Precisamos da sua ajuda, o mais rápido possível. Obrigado”, apelaram eles no Twitter.

O motivo do bloqueio é que o limite máximo de pagamento do Amazon Watch foi definido para abaixo de US$ 100.000. Depois que a BitPay aconselhou a equipe a mudá-la, eles disseram que fazer isso era impossível automaticamente e que eles deveriam enviar uma documentação em separado.

Desenvolvedor: mande a BitPay pastar e invista no código aberto

O episódio alimenta ainda mais a reputação duvidosa que a BitPay construiu nos últimos anos. O drama incluiu a promoção da altcoin Bitcoin Cash (BCH) como uma alternativa mais atraente ao próprio Bitcoin, juntamente com o suporte para outras ideias disruptivas e questões técnicas que levaram a empresa a perder vários clientes significativos.

Poucas carteiras Bitcoin são compatíveis com as faturas da BitPay, aumentando a dor de cabeça dos usuários.

Percebendo a ironia de terceiros que colocam limites artificiais na rede Bitcoin aberta e descentralizada, o engenheiro de software Alex Kaul recomendou à Amazon Watch que abandonasse a BitPay e se envolvesse com uma alternativa de código aberto.

Ao recomendar o BTCPay, o conselho de Kaul foi bem recebido pela instituição de caridade, que prometeu considerar a mudança. No ano passado, uma situação semelhante fez com que a CheapAir, agente de viagens dos Estados Unidos, adotasse o BTCPay, enquanto desdenhava tanto a BitPay quanto a Coinbase.