Bitmain perde espaço e mineradores chinesas trocam Antminer pela Whatsminer

A Bitmain está perdendo espaço para outros fabricantes de ASIC, revelou o portal chinês 8BTC. A empresa de Jihan Wu que já dominou mais de 90% do mercado de equipamentos para mineração de Bitcoin agora enfrenta fortes concorrentes.

Segundo a reportagem, as fazendas de mineração de Bitcoin na China estão desativando equipamentos da Bitmain, principalmente o Antminer S9 e em vez de trocar por novos mineradores da fabricante estão buscando hardwares da Whatsminer que seriam tão eficientes quanto os produtos da Bitmain, contudo com suporte e disponibilidade maior.

Um minerador que pediu para não ser identificado e que opera uma grande fazenda em Sichuan, uma província montanhosa no sudoeste da China conhecida como a "capital da mineração de bitcoin" por produzir 50% do hashrate global, disse que vendeu 30.000 ASIC da Bitmain.

“Em novembro, vendi 7.000 unidades de 14,5T S9, das quais o primeiro lote foi vendido a 800 yuan (US$ 113) por unidade, enquanto o segundo lote do mesmo modelo foi vendido por 690 yuan (US$ 98) apenas alguns dias depois", disse.

Já Zhang Jun, que administra uma fazenda de mineração de bitcoin de tamanho médio em Yunan (vizinha Sichuan), disse que a Bitmain havia acabado de retirar 10.000 mil S9 de uma de suas fazendas de mineração na Mongólia Interior para abastecer os mercados de segunda mão onde são vendidas a US$ 100 por unidade.

Ainda de acordo com Jun, 70% das grandes fazendas de mineração da China já atualizaram seus equipamentos e nesta 'nova fase' enquanto o Whatsminer responde por quase 50% dos novos equipamentos os Antminer da Bitmain ocupam somente 16,7% deste novo mercado enquanto o restante, cerca de 33,3% são divididos pelas mineradoras Innosilicon, Avalon e Ebit.

Embora a Bitmain tenha dominado o mercado com o "Rei dos mineradores" o Antminer S9, mineradores apontam que a falta de capacidade de produção faz com que muitos procurasem outros produtores de ASIC e, nesta leva, o Whatsminer acumulou 6,7 bilhões de yuans (aproximadamente US $ 1 bilhão) nas vendas de mineradores este ano.

Como noticiou o Cointelegraph, a queda recente no preço do Bitcoin que tirou a principal criptomoeda do mercado do patamar de US$ 9 mil e levou o BTC a ser negociado em torno de US$ 7 mil deve 'acabar' com a mineração amadora, segundo Yung Cheng Tsou, CEO da RRMine.

Confira mais notícias