Bitfury lança centros de mineração de Bitcoin no Paraguai em nova parceria

A empresa de tecnologia blockchain e fabricante de mineradores de Bitcoin (BTCBitfury planeja lançar várias instalações de mineração no Paraguai, de acordo com um comunicado publicado na quinta-feira, 31 de janeiro.

A Bitfury fez uma parceria com a empresa de pesquisas sul-coreana Common-Comte para lançar uma série de locais de processamento de transações que usarão os data centers móveis BlockBox AC da Bitfury no Paraguai.

O projeto é parte de uma iniciativa maior da Commons, apelidada de "Golden Goose", que visa "expandir a criptomoeda e a inovação blockchain em países de língua espanhola", informa o comunicado de imprensa.

De acordo com o anúncio, as instalações de mineração no Paraguai terão cerca de 200.000 metros quadrados, com eletricidade fornecida por uma subestação de energia de 500 MW. A Bitfury afirma que toda a energia usada pelos centros de mineração será renovável, já que o Paraguai é o lar do maior produtor de energia hidrelétrica do mundo, a usina hidrelétrica de Itaipú.

Além disso, a Commons Foundation revelou seus planos de abrir uma exchange de criptomoedas global no Paraguai no final deste ano e de emitir um token da Golden Goose (GOLD) para os participantes dos dois projetos. A exchange cripto supostamente usará a plataforma analítica da Crystal da Bitfury para cumprir as políticas de Conheça seu Cliente (KYC) e de combate à lavagem de dinheiro (AML).

Ambas as partes, juntamente com autoridades paraguaias, afirmaram acreditar que as novas iniciativas de cripto ajudarão o país a atrair novos investidores, além de ajudar a construir um ecossistema blockchain na América Latina.

Em novembro de 2018, a Bitfury se associou à Universidade Russa de Economia Plekhanov para desenvolver um curso de blockchain para jovens especialistas. Em dezembro, a empresa assinou um contrato com a PwC, membro do "Big Four" da consultoria, para lançar um acelerador blockchain para empresas na Rússia.