Bitcoin valorizou 9.000.000% em 10 anos e quem comprou US$ 1 em BTC no início de 2010, agora têm mais de US $ 90 mil

Um recente relatório publicado pelo Bank of America, destacou que o Bitcoin foi, de longe, o melhor investimento dos últimos 10 anos em qualquer parte do mundo e aponta que o BTC valorizou mais de 9.000.000% em 10 anos. Desta forma, segundo o relatório, se você investisse US$ 1 em bitcoin no início de 2010, agora teria mais de US $ 90.000.

Somente em 2019 o Bitcoin valorizou cerca de 95% e, no caso do Brasil foi o melhor investimento do ano  com outras aplicações financeiras como ações na bolsa de valores, tesouro, títulos pré fixados, poupança, índices atrelados a selic, entre outros.

Embora a valorização do Bitcoin em 10 anos tenha sido apontada como a maior, na classe de ativos, da história isso não animou o economista-chefe da Lending Tree, Tenday Kapfidze que disse ao Yahoo Finance que o Bitcoin é um esquema de pirâmide e que, em toda sua história, está procurando resolver um problema que não existe.

"É um esquema de pirâmide. Você só ganha dinheiro com base nas pessoas que entram depois de você. Não tem utilidade real no mundo. Eles tentam criar um utilitário para ele há dez anos. É uma solução em busca de um problema e ainda não encontrou um problema para resolver", destacou.

Já Oliver Pursche, estrategista de mercado chefe da Bruderman Asset Managementm diz que possui várias criptomoedas para entender o que elas são.

“Eu possuo várias criptomoedas. Entrei com eles no final de 2016 e no início de 2017. Comprei pesos iguais com um pensamento específico: 'há algo aqui, simplesmente não sei o que é'. Para mim, é também uma maneira de ser educado ... para mim, se você quiser aprender sobre isso, é preciso ser o dono, porque é a única maneira de realmente se educar e prestar atenção", disse.

O movimento dos preços para 2020

2019 foi um ano agitado para o Bitcoin. Nos primeiros seis meses, subiu cerca de 310%, de um mínimo de US$ 3.355 em 29 de janeiro, para um máximo de US$ 13.973,50 em 26 de junho. Isso alimentou as expectativas de que a principal moeda digital possa testar novamente seus máximos históricos de US$ 19.531,90. No entanto, a segunda metade do ano foi decepcionante, pois o preço continuou a cair e perdeu mais de 50% da sua máxima anual, em US$ 13.973,50.

Agora, no começo de 2020, segundo o analista do Cointelegraph, Rakesh Upadhyay, a EMA de 20 dias se achatou e o RSI está próximo do ponto médio o que sugere um equilíbrio entre compradores e vendedores. Desta forma, o  Bitcoin (BTC) provavelmente permanecerá dentro do intervalo por mais alguns dias. Se o intervalo estiver entre US$ 7.856,76 e US$ 7.000, sinalizará a força e aumentará a possibilidade de uma ruptura acima do intervalo.

"Uma quebra de US$ 7.856,76 será um sinal de alta, pois elevaria o preço acima do padrão de queda que está em vigor nos últimos seis meses. O primeiro alvo é uma mudança para US$ 10.360,89. Se esse nível for escalado, o próximo nível a ser observado é de US$ 12.000. Por outro lado, se o par BTC / USD falhar em permanecer acima de US$ 7.000, uma queda para US$ 6.435 estará no jogo", disse.

Como noticiou o Cointelegraph, o Bitcoin já atingiu um novo recorde em 2020, com a taxa de hash da rede superando os máximos anteriores de todos os tempos chegando acima de 143 quintilhões de h/s segundo dados do CoinDance.

Confira mais notícias