Bitcoin visa os US$ 11 mil e métricas de dados históricos agora olham para o alto

O preço do Bitcoin (BTC) visava os US$ 10.500 em 3 de setembro, com o mais recente renascimento da maior criptomoeda que proporcionou ganhos surpreendentes.

Market visualization

Visualização de mercado. Fonte: Coin360

Bitcoin reverte prejuízos e desafia a marca de $10,5K

Os dados de rastreamento da Coin360 para o par BTC/USD indicavam que houve um aumento de 6,2% em 24 horas na segunda-feira à noite. Depois de ficar em torno de US $ 9.700, o par subiu repentinamente, quebrando a resistência de US$ 10.000 para atingir máximos locais de US$ 10.480 logo depois.

No momento desta publicação, esses níveis mais altos pareciam manter-se, com o Bitcoin girando em torno dos US$ 10.400 nas últimas 12 horas.

Bitcoin 7-day price chart

Gráfico de preços de 7 dias do Bitcoin. Fonte: Coin360

O aumento mais recente reverte completamenteo a tendência de baixa vista nos mercados na semana passada. Na época, o BTC/USD perdeu centenas de dólares em minutos e chegou a mínimos recentes de US$ 9.350.

Conforme relatado pelo Cointelegraph, os analistas começaram a observar as chances de uma reversão, que posteriormente se tornou realidade, apesar da forte reação de comentaristas que, inversamente, favoreceram mais as desvantagens.

Agora, o sentimento otimista continuava, com Dan Tapeiro, fundador da DTAP Capital, destacando uma métrica em particular - o Indicador de Bitcoin do DeMarker - que, segundo ele, sugeria mais ganhos.

O indicador DeMarker utiliza preços máximos e mínimos recentes de um ativo e o compara com períodos anteriores, a fim de avaliar a provável trajetória de mercado.

“Hoje saiu o primeiro sinal 'Demark buy 9' desde 22/01/19. O sinal anterior levou a uma recuperação de 400% em 6 meses”, disse ele aos seguidores no Twitter na segunda-feira. Ele continuou:

“Apenas o segundo sinal do ano. Com 9300 baixo, apontando para baixo para esta correção. É bom o r/r comprar e colocar a stop loss abaixo desse piso, jogando para novos máximos de 2019.”

Keiser: Craig Wright não pode fazer o Bitcoin disparar a qualquer momento

Outros eram mais ousados ​​em sua crença, com o apresentador da RT Max Keiser apontando para os desdobramentos no processo judicial envolvendo o desenvolvedor australiano de criptomoedas Craig Wright, como sendo capaz de influenciar os mercados de Bitcoin.

Segundo Keiser, a suposta falta de capacidade de Wright de pagar os gigantescos US$ 5 bilhões em Bitcoin ordenada por um juiz no mês passado protegerá os mercados da pressão de venda. Uma teoria que circula atualmente postula que o autodeclarado criador do Bitcoin não possui ativos notáveis ​​em BTC.

"O #Bitcoin desconta o fato de que CSW nunca teve o Bitcoin para começar, então ele obviamente não pode pagar o meio milhão em moedas exigidas pela corte. Como esse suprimento potencial não é mais um impedimento, veremos uma rápida escalado ao novo ATH”, escreveu Keiser.

Vida ou morte para as altcoins

Os mercados de altcoin obtiveram ganhos modestos após o melhor desempenho do Bitcoin. Como o Cointelegraph relatou, porém, o progresso permanece fraco, o que levou os críticos a dobrar sua visão de que o ecossistema nunca poderá se recuperar.

Até o momento, o Ether (ETH), a maior altcoin por valor de mercado, era negociada com alta de 4% no dia, batendo em US$ 178.

 

Ether 7-day price chart

Gráfico de preços de 7 dias do Ether. Fonte: Coin360

Outros tokens entre dez principais conseguiram subir entre 1% e 4%, enquanto o token interno da Binance, o Binance Coin (BNB), empatavaem ganhos com o BTC.

Do valor total do mercado de criptomoedas, como o Cointelegraph já observou, o domínio do Bitcoin foi para 70,5% pela primeira vez desde março de 2017.

acompanhe os mercados de cripto em tempo real aqui