É o Bitcoin que é a fraude? Setor de metais do JPMorgan fixou preços do ouro por anos

O maior banco dos Estados Unidos passou por um novo vexame dos círculos Bitcoin (BTC) nesta semana, após os promotores dizerem que os traders haviam realizado mais fraudes no mercado.

Como a Bloomberg informou em 16 de setembro, o JPMorgan Chase está passando uma investigação sobre o comportamento de pelo menos uma dúzia de traders de metais preciosos.

O JPMorgan realizou "milhares" de movimentos ilegais

Segundo os investigadores, os funcionários voluntariamente se dedicavam à fixação de preços de metais preciosos em milhares de ocasiões. Como resultado, tanto os participantes do mercado quanto os próprios clientes do JPMorgan amargaram prejuízos, afirmam eles. A Bloomberg cita o procurador-geral assistente Brian Benczkowski:

“Com base no fato de ter sido uma conduta difundida sobre a mesa, ela esteve envolvida em milhares de episódios durante um período de oito anos. outro banco ou mais na instituição financeira... Seguiremos os atos para onde quer que eles levem, não importa se para outras mesas ou bancos até mesmo mais para cima, para instituições financeiras".

O JPMorgan é conhecido como um dos mais céticos às criptomoedas. Seu CEO, Jamie Dimon, tornou-se famoso por suas delacrações, que começaram em 2017 quando ele rotulou o Bitcoin como um golpe.

Desde então, Dimon parecia ter mudado de ideia, comprometendo-se a não discutir novamente o Bitcoin em público, negando que não gostasse dele em comentários privados ao Cointelegraph.

Bitcoin, banqueiros e fraude

Mais recentemente, o banco lançou sua própria versão de moeda digital, o JPM Coin, que recebeu críticas semelhantes por suas características técnicas.

A ironia do escândalo dos metais preciosos não passou desapercebida pelos comentaristas de cripto.

“Eles foram acusados ​​de fraude eletrônica, fraude bancária e manipulação de mercado. Mas o CEO deles me disse que o Bitcoin que é a fraude”, resumiu o analista do Twitter conhecido como Rhythm.

O JPMorgan não é o único banco a emitir alertas sobre a suposta natureza fraudulenta da criptomoeda enquanto está envolvido em turbulência legal.

Em 2018, a instituição holandesa Rabobank afirmou que o Bitcoin continha riscos de conformidade com lavagem de dinheiro. Posteriormente, as autoridades a multou em US$ 369 milhões por... lavagem de dinheiro.