Bitcoin tem menos impacto ambiental do que as moedas fiat

Os riscos do impacto ambiental por causa da mineração de Bitcoin foram amplamente divulgados, mas um relatório recente indica que o dano real da mineração de Bitcoin pode muito bem ser muito menor que o associado às moedas fiat e outras indústrias.

Os centros de dados, mineração de ouro e produção de dinheiro consomem substancialmente mais energia do que a mineração de Bitcoin.

O relatório indica que o consumo anual de energia da mineração de Bitcoin é de 8,27 terawatt-hora por ano, mais do que a Irlanda e outras nações pequenas. No entanto, este número é apenas um oitavo do que os centros de dados nos EUA consomem anualmente, e a produção global de moedas fiduciárias é de 11 terawatts-hora por ano.

A mineração de ouro queima horríveis 132 terawatt-hora por ano. Além disso, esses números nem sequer incluem o montante maciço gasto em cofres, bancos, sistemas de segurança e muito mais do que se necessita para manter o dinheiro físico e o metal precioso seguro.

FUD

O impacto ambiental da mineração de Bitcoin foi amplamente promovido, particularmente por aqueles que acreditam que é uma moeda não legítima, mas parece que essas acusações são mais medo, incerteza e dúvida (FUD), do que fatos reais.

Esses relatórios não levam em consideração os custos reais de outros tipos de produção de valor, todos os quais consomem recursos. Com efeito, o Bitcoin consome menos energia do que os seus equivalentes não digitais


Siga-nos no Facebook