Ausente desde 2017, Binance planeja retorno à China com escritório em Pequim

A importante exchange cripto Binance pode estar retornando à China, com um escritório planejado para ser aberto em Pequim, segundo fontes ligadas ao tema.

Binance no exílio

A Binance, que deixou a China em setembro de 2017 em resposta à proibição da negociação de criptomoedas no país, pretende abrir um novo escritório em Pequim para acompanhar sua equipe de operações opera em Xangai, disseram duas fontes não identificadas a Coindesk, em 31 de outubro.

Até o momento, fontes da Binance não haviam confirmado à Cointelegraph os planos de estabelecer um novo escritório em Pequim, mas disseram que havia vários funcionários da Binance atualmente operando na capital chinesa.

A mudança vem na sequência de uma série de eventos que indicam que as relações estão esquentando entre a empresa e o país. A Binance foi fundada por Changpeng Zhao na China em 2017 antes de se mudar para Malta. De fato, a Binance é uma das muitas empresas do setor de criptografia que parecem buscar relações mais amigáveis com a China.

Em setembro deste ano, o Cointelegraph noticiou sobre o primeiro grande investimento da Binance na China desde que deixou o país. A empresa participou de uma rodada de financiamento de US$ 200 milhões para a publicação chinesa de finanças e criptografia Mars Finance.

Aproximação da China com as criptomoedas?

Os mercados de criptomoedas tremeram em 25 de outubro após o anúncio do presidente chinês Xi Jingping de apoio à inovação de blockchain no país. Em 26 de outubro, o Bitcoin (BTC) registrou ganhos de mais de 36% - mais de 42% de acordo com algumas exchanges - no que muitos viram como resultado do apoio declarado de Xi.

Aviso: O Cointelegraph atualizará esta matéria no caso de mais comentários da Binance.