Binance aumenta medidas anti-fraude com parceira de Chainalysis

O provedor de conformidade de cripto e a empresa de pesquisa Chainalysis anunciou uma parceria com a casa de câmbio Binance em um comunidado à imprensa na quarta-feira, 17 de outubro, para melhorar a detecção de transações suspeitas.

A Binance, atualmente a maior casa de câmbio de criptomoedas do mundo em volume, continua a se expandir em vários mercados internacionais, sendo obrigada a cumprir as regras de cada jurisdição contra lavagem de dinheiro (AML) e conheça seu cliente (KYC).

A Chainalysis facilita esse processo, afirma a empresa, por meio do uso de monitoramento em tempo real para rastrear a proveniência de cada transação feita na plataforma da Binance.

A solução, conhecida como know-your-transaction (KYT), teve seu lançamento inicial em abril, as notas do press release.

“As empresas de criptomoedas de todos os portes enfrentam o mesmo desafio: ganhar a confiança dos reguladores, instituições financeiras e usuários”, comentou Jonathan Levin, co-fundador e COO da Chainalysis no comunicado de imprensa, acrescentando:

"Esperamos que muitos sigam a liderança da Binance para desenvolver programas de conformidade de AML de classe mundial para satisfazer reguladores globalmente e construir confiança com as principais instituições financeiras."

Em 2018 já houve várias plataformas de câmbio bem conhecidas — incluindo o ecossistema P2P Localbitcoins — introduzir medidas de conformidade adicionais, algumas das quais têm criticado os usuários de criptomoeda que valorizam o anonimato. Além disso, em setembro, a casa de câmbiode cripto ShapeShift introduziu um programa de associação que gradualmente se tornará obrigatório e exigirá o fornecimento de informações pessoais “básicas”.

Explicando sua própria implementação das regras de AML e KYC, a Binance sugeriu que tais medidas eram necessárias para permitir maior expansão.

“Nossa visão é fornecer a infraestrutura para um ecossistema de blockchain e aumentar a liberdade do dinheiro globalmente, ao mesmo tempo em que aderimos aos mandatos regulatórios nos países que servimos”, disse o CFO da Binance, Wei Zhou.