Maior banco da Bielorrússia considera abrir exchange cripto, diz presidente do conselho

O Belarusbank, o maior banco da Bielorrússia, está considerando a criação de uma exchange cripto, informou a agência de notícias local BelTA em 28 de janeiro.

De acordo com o presidente do conselho do banco, Viktor Ananich, estão sendo feitos esforços para explorar a possibilidade de estabelecer uma exchange de criptomoedas.

Ananich afirmou que a digitalização é um dos focos mais importantes do Belarusbank em 2019, observando que o banco também está trabalhando com operadoras de telefonia móvel com o objetivo de expandir seus serviços. O Belarusbank está especificamente planejando emitir cartões virtuais - cartões de crédito on-line ao invés de físicos - em poucos meses, como revelou Ananich.

O presidente enfatizou que o setor bancário deve acompanhar a indústria digital, já que o espaço está evoluindo muito rápido.

De propriedade do Comitê de Propriedade do Estado da Bielorrússia, o Belarusbank é a instituição bancária líder no país, de acordo com seu volume de patrimônio, ativos, empréstimos e depósitos. Estima-se que o Belarusbank tinha US$ 13,51 bilhões em ativos operacionais em 2017.

Em 15 de janeiro foi lançada na Bielorrússia a primeira plataforma de negociação de cripto que permite aos usuários comprar ativos tradicionais tokenizados, tais como ações e ouro, com criptomoedas.

O projeto é apoiado por duas empresas, a Larnabel Ventures e a VP Capital. Até 16 de janeiro, a plataforma teria emitido 150 tipos diferentes de tokens, enquanto as empresas esperam listar 10 mil tipos de ativos.

Em novembro de 2018, o Parque de Alta Tecnologia da Bielorrússia (HTP), que foi apelidado de Vale do Silício da Bielorrússia, estabeleceu regulações para negócios relacionados a cripto no país, incluindo empresas relacionadas a operações de oferta inicial de moedas (ICO).

Recentemente, a importante exchange cripto europeia Bitstamp fez uma parceria com o banco on-line suíço Dukascopy para realizar transações de Bitcoin (BTC) em nome do Dukascopy. De acordo com os termos do contrato, os clientes poderão enviar Bitcoins para suas contas, convertê-los em moeda fiduciária e negociar no Swiss FX Marketplace.

Em 21 de janeiro, o banco suíço Swiss Falcon Private Bank lançou apoio para transferências diretas e armazenamento das principais criptos, permitindo que investidores privados e institucionais as transferissem de e para as carteiras segregadas do Falcon, bem como convertendo a cripto em fiduciário.