Banco do Brasil é o melhor banco do país, segundo revista Época; instituição foca em blockchain

O Banco do Brasil, um dos principais bancos do país, foi eleito pela Revista Época, o melhor banco do Brasil, na premiação Época NEGÓCIOS 360º, ocorrida em 21 de outubro na Sala São Paulo, no centro da capital paulista. 

O guia da Revista é fruto de uma parceria com a Fundação Dom Cabral da Boa Vista SCPC e conta com a colaboração da Economatica, para dados e rankings de companhias de capital aberto. Além do banco brasileiro, outras empresa foram premiadas em seus segmentos como Ambev, MRV, Natura entre outras. Os troféus entregues as vencedoras foram criados pelo designer Ronald Sasson.

Superando outras instituições financeiras o Banco do Brasil vem investindo em inovação com destaque para a tecnologia blockchain. Recentemente a instituição anunciou a criação de uma plataforma usando a tecnologia, para a Petrobras, visando permitir, entre outros, transferências e pagamentos 24x7, automatizando e reduzindo o tempo de atendimento além de proporcionar ganho em eficiência operacional. 

Neste ano, o Banco do Brasil em parceria com a Caixa Econômica Federal, Sicoob, Banrisul e Santander desenvolveram uma solução conjunta, baseada em blockchain, o SFD, Sistema Financeiro Digital, para que clientes destas instituições possam fazer transferências de recursos entre si, 24 horas por dia, incluindo fins de semana, com dinheiro caindo na conta em questão de minutos, agilizando os processos de TED.

Com a tecnologia blockchain, a instituição também integrou o DeviceID, projeto da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP) e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que é a primeira plataforma baseada em blockhain para conectar diferentes instituições financeiras e permite o compartilhamento de um conjunto de informação dos usuários de bancos e instituições financeiras, para com isso criar uma camada nova de segurança para sistemas antifraude e de identificação.

O projeto já está integrado ao Sistema de Pagamentos Brasileiro e foi desenvolvida pela CIP junto com bancos brasileiros e a IBM. Atualmente a plataforma é usa o Hyperledger Fabric, no entanto segundo Joaquim Kiyoshi Kavakama, superintendente Geral da CIP,  o Corda, do consórcio R3, também será integrado ao sistema.

Ainda sobre a premiação da Revista Época, um levantamento feito pelo Cointelegraph, revelou que das cerca de 27 empresas premiadas pelo grupo de mídia, 70% delas já vem desenvolvendo provas de conceito ou pretendem estudar aplicações baseadas em blockchain.

Como noticiou o Cointelegraph, sobre a interação entre bancos e a indústria cripto/blockchain, um professor da Stanford Graduate School of Business diz que as criptomoedas acabarão com o dinheiro que os bancos desfrutam atualmente de depósitos com juros baixos.