Bakkt, problemas técnicos ou Trump? Três teorias para a queda repentina de 13% do Bitcoin

O Bitcoin (BTC) caiu mais de 13% no dia, levando a interpretações conflitantes sobre o que poderia ter desencadeado a virada descendente da principal moeda.

Até o momento desta publicação, o Bitcoin vacilava em torno da marca de US$ 8.400 - sinalizando uma grande perda de 17.8% na semana.

Bitcoin 24-hour chart

Gráfico de 24 horas do Bitcoin. Fonte: Coin360

É culpa da Bakkt?

Entre as teorias mais populares entre os comentaristas de criptomoedas, está a decepção do mercado com a aceitação aparentemente morna dos recém-lançados contratos futuros de Bitcoin e resolvidos fisicamente pela Bakkt entre clientes institucionais.

Os contratos - que quebram o paradigma ao serem liquidados em Bitcoin e não na moeda fiduciária - entraram em vigor em 22 de setembro, em um momento ansiosamente esperado para o setor de criptomoedas como um todo.

Porém, volumes de negociação lentos logo após o lançamento do produto podem ter atenuado o sentimento do investidor, pois os espectadores fizeram um balanço do fato aparente de que a demanda institucional por exposição ao Bitcoin pode não ser tão robusta quanto se supunha anteriormente.

59 BTC foram negociados na plataforma nas 24 horas anteriores a esta publicação; um total de 166 contratos negociados na terça-feira, 24 de setembro, de acordo com uma nova cobertura da Reuters. Jamie Farquhar, gerente de carteira da empresa de cripto NKB Group, com sede em Londres, disse a repórteres:

"Uma coisa é dar acesso ao dinheiro institucional ao BTC. Outra coisa é deixá-los confortáveis ​​o suficiente para comprá-lo. "

Em um "tuíte" de 23 de setembro, o operador Alex Kruger observou:

“Bakkt, volumes do primeiro dia: 71 Bitcoins. CME, volumes do primeiro dia: 5298 Bitcoin. Uma diferença de 75 vezes.”

Opiniões divididas

A tese de Bakkt não ganhou apoio unânime, com muitos considerando-o natimorto alguns dias após o lançamento do produto prematuro.

Outros comentaristas estão apontando para fatores técnicos que subestimam a fraqueza do preço do Bitcoin - como uma análise de preço do Cointelegraph cobriu em profundidade esta semana.

Todavia, uma outra tese que circula nas ronas de cripto no Twitter é de natureza mais macroeconômica e geopolítica - com as últimas notícias da abertura do processo de impeachment contra o presidente dos EUA, Donald Trump, por seu controverso telefonema no verão para o presidente da Ucrânia.

Assim, alguns correlacionaram os fracos movimentos do mercado de Bitcoin com esse cenário mais amplo, à medida que os mercados tradicionais se recuperam da mais recente sacudida na política dos EUA. O analista Holger Zschäpitz "tuitou" em 25 de setembro:

“Os mercados de ações globais foram sacudidos quando o pedido de impeachment de Trump aumentaram as perspectivas de prolongado impasse político em Washington. Títulos estáveis ​​com rendimento US 10y a 1,65%, 10y Bund a -0,61%. Ouro a US$ 1530, como o maior ETF de ouro desde 2013. O Bitcoin é negociado a US$ 8,5 mil após um colapso repentino.”

Vários analistas de mercado tradicionais e de cripto, além disso, consideram que as taxas de juros mais baixas aprovadas por Trump representam "combustível de foguete" para o preço do Bitcoin - adicionando mais credibilidade ao argumento de que sua controversa presidência é, em geral, amplamente positiva para a criptomoeda.

O presidente tem sido cada vez mais vociferante em relação à política monetária do Federal Reserve, "tuitando" no início deste mês em favor de ações mais dramáticas:

“O Federal Reserve tem que reduzir nossas taxas de juros para ZERO, ou menos, e devemos começar a refinanciar nossa dívida. O CUSTO DE JUROS PODE SER LEVADO MUITO MAIS PARA BAIXO, enquanto ao mesmo tempo prolonga substancialmente o prazo. Temos a excelente moeda, poder e balanço patrimonial.”

O banco central, no entanto, manteve-se firme com uma abordagem mais medida, na semana passada, baixando sua taxa de referência para apenas 2%.