Austrália: clientes levam gestor de fundo cripto à justiça, citando perdas de US$ 14,2 milhões

O fundador do que teria sido a primeira varejista online de colchões da Austrália OzMattress e o gestor de fundos de criptomoedas Stefanos Papanastasiou está perto de ser levado à justiça por seus clientes depois de perdas de mais de AUD$ 20 milhões (US$ 14,2 milhões). O diário australiano The Age noticiou a polêmica em 19 de março.

Segundo a matéria, Papanastasiou disse a seus clientes em 2017 que tinha gasto meio milhão de Dólares Australianos (US$ 355.000) para desenvolver um algoritmo capaz de oferecer retorno substancial através da negociação de tokens baseados em Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH). De acordo com a alegação apresentada pelo promotor imobiliário Savvas Alexiadis, um de seus clientes, Papanastasiou deve a ele mais de AUD$ 2,7 milhões (cerca de US$ 2 milhões).

Os documentos registrados na Suprema Corte do estado de Victoria declaram que Alexiadis transferiu mais de AUD$ 2,1 milhões (perto de US$ 1,5 milhão) para uma conta comercial de Papanastasiou. Depois disso, ele teria transferido uma quantidade não especificada de BTC em carteiras geridas por Papanastasiou.

A alegação também cita mensagens que teriam sido enviadas por Papanastasiou:

“Sam, não se apegue aos detalhes. Deixa comigo. Me diga a palavra chave de login para ACX [conta comercial]. Vou lidar com qualquer fundo que estiver ali... Olhos no prêmio, Sam. Entendeu? Eu estou aqui pra você.”

Além disso, os documentos dizem que Papanastasiou pediu a Alexiadis para transferir AUD$ 40.000 (mais de US$ 28,000) para sua esposa, AUD$ 35.000 (aproximadamente US$ 25.000) para sua irmã e US$ 450.000 (quase US$320.000) para um fornecedor de colchões em Thomastown, prometendo enviar o equivalente em ativos cripto.

O The Age ressalta que Papanastasiou e sua esposa, Shalini Ganapathy, desistiram da compra de uma casa de AUD$ 5,44 milhões em dezembro de 2017, depois que o Bitcoin alcançou seu pico de US$ 20.000.

O website do negócio varejista de colchões de Papanastasiou, OzMattress, parece estar offline no momento desta publicação. As alegações também notam que Papanastasiou recusou-se repetidamente a fornecer uma conta de atividade comercial e não atendeu a pedidos para pagar as quantias pedidas pelos clientes.

Em resposta aos pedidos de Alexadais para devolver cerca de US$ 2 milhões, Papanastasiou teria dito:

“A ação da Suprema Corte é novidade pra mim e eu pretendo me defender das alegações já que ele foi recompensado em mais de US$ 2,7 milhões [...] Sam [Alexadais] e seus associados têm muito a responder, pois a verdade dos fatos é muito diferente e muito mais sinistra.”

Além disso, Mark Thompson, um ex-treinador da Australian Football League acusadou de tráfico de MDMA e metanfetamina em maio do ano passado, contribuiu em mais de um milhão de Dólares Australianos (cerca de US$ 709.000) para o fundo de Papanastasiou como um de seus clientes.

Como o Cointelegraph noticiou, a agência contra lavagem de dinheiro australiana recentemente suspendeu os registros de duas exchanges ligadas um caso de tráfico de drogas não relacionado.

Em outra notícia sobre cripto e operações da justiça, um procurador distrital dos Estados Unidos também processou os fundadores de um esquema pirâmide internacional de criptomoedas que envolveria o marketing de uma moeda digital fraudulenta chamada “OneCoin.”