Atlas Quantum compra pouco mais de 1 Bitcoin em sistema de recompra mas paga valor de mercado

A Atlas Quantum, plataforma que afirma realizar arbitragem de Bitcoin, anunciou hoje o primeiro dia de seu sistema de recompra de Bitcoins que, segundo a empresa, é mais uma medida para amenizar a crise dos BTC bloqueados na plataforma. O anúncio das negociações do dia foi divulgado hoje, 04 de novembro, no início da noite.

Segundo a empresa o preço de referência usado no sistema foi o mesmo do Bitvalor, que assim como o Cointrademonitor, é um dos principais agregadores de preço do Bitcoin no Brasil. De acordo com a Atlas, a primeira recompra aconteceu às 17h20 e a cotação usada foi de R$ 37.426,73. No total, segundo a Atlas, seis ordens foram atendidas.

No total, segundo dados divulgados pela empresa, cerca de 1.02 Bitcoins foram comprados. A empresa destaca que os usuários que desejam participar do sistema de recompra devem procurar seus consultores e indicar o preço a ser praticado para inserção no book de ordens após uma confirmação feita por e-mail. A quantidade mínima é 1 Bitcoin.

"As ordens foram executadas proporcionalmente, seguindo o volume de cada uma delas, no valor total de R$ 33.960 – esse valor corresponde a 20% das receitas operacionais diárias. A recompra de bitcoins, anunciada na última sexta-feira, será diária, somente em dias úteis, em horários aleatórios.  As ofertas de recompra serão efetivadas diretamente na plataforma Quantum. As ordens que estiverem mais próximas do preço referência de mercado, serão atendidas primeiro, seguidas das demais (do valor mais caro, para o valor mais barato). Os clientes interessados em participar da recompra, cujos valores das atuais ordens de venda são inferiores à referência de mercado, devem entrar em contato com os seus representantes comerciais, solicitando ajustes no preço de oferta na mesa de operações. Clientes que não têm representantes comerciais devem colocar suas ordens diretamente na plataforma", declarou a Atlas Quantum.

A medida teve uma repercussão positiva nas redes sociais nas quais investidores da empresa aguardavam como o sistema funcionaria e, embora o montante comprado tenha sido considerado baixo, animou investidores que acreditam em uma recuperação da empresa.

Entretanto, no sistema de 'saque em reais', anunciado pelo CEO Rodrigo Marques, na qual o cliente vende os bitcoins bloqueados no sistema para novos usuários, a diferença dos preços praticados voltou a incomodar os clientes da Atlas pois o valor 'pago' pelos bitcoins dos clientes teria chegado a R$ 10 mil mas, na 'revenda' a Atlas teria liquidado o mesmo Bitcoin por mais de R$ 27 mil.

Além disso, usuários relataram problemas nas ordens de venda, segundo relatos, usuários teriam 'fechado' um ordem por R$ 14 mil mas a Atlas teria executado por um valor muito menor. Mas, apesar dos possíveis problemas, os sistemas adotados pela Atlas tem encontrado aderência entre investidores da empresa que têm topado 'uma venda com desvalorização em busca de salvar parte do patrimônio investido.

Durante o dia surgiram boatos de que a Comissão de Valores Mobiliários, CVM, estaria em conversa com a Atlas e 'voltaria' atrás em sua decisão abrindo uma dispensa para as operações da Atlas. O Cointelegraph entrou em contato com a CVM que informou que a decisão da autarquia está publicada no portal e que até o momento a Atlas está com suas atividades de investimento coletivo suspensas.

Quanto a uma possível dispensa a CVM declarou que não se pronuncia sobre processos em andamento e que qualquer alteração será publicada em seu portal oficial.

Como noticiou o Cointelegraph, cidadãos da Espanha, Argentina e Holanda estariam em busca de abrir um processo contra as empresas Atlas Quantum e AnubisTrade por conta do atraso nos saques de Bitcoins nas referidas plataformas, segundo informou o advogado goiano Artêmio Picanço. 

Confira mais notícias