Restrições do governo norte-americano contra o Irã pode ter levado Bitcoin a atingir volume de negociações recorde no país

Pressionado por sanções do governo dos Estados Unidos, o Irã pode estar adotando criptomoedas como alternativa econômica para a população do país. A administração Donald Trump recentemente endureceu o tom diplomático com o país, aventando especulações sobre uma possível solução bélica para o conflito.

Com o país mais poderoso do mundo pressionando sua economia e seu conselheiro de segurança nacional, John Bolton, apoiando abertamente uma suposta mudança de regime, Teerã estaria pronta para se defender. No domingo, Trump tuitou uma mensagem dizendo que seria o "fim do Irã" se eles ameaçassem os EUA novamente.

“Se o Irã quer lutar, esse será o fim oficial do Irã. Nunca mais ameace os Estados Unidos! ”, escreveu o presidente dos EUA.

A inflação também estaria aumentando no país, o que pode ter levado o país a registrar um aumento recorde de adoção de Bitcoin desde 2018. As negociações da semana passada renderam mais de 45 bilhões de IRR (US$ 1,35 milhão) em Bitcoins negociados somente na plataforma LocalBitcoins.

O Cointelegraph já relatou muitas vezes fatores geopolíticos influenciando a flutuação do Bitcoin. Uma moeda em queda, inflação maciça e mercados de ações em queda fazem com que investidores transfiram suas economias para ativos portos-seguros como o ouro e, recentemente, o Bitcoin, como acontece na Venezuela.