Universidade Estatal do Arizona usará blockchain SalesForce para registros acadêmicos

A Universidade Estatal do Arizona está trabalhando com colégios comunitários locais no uso da blockchain para inovar o compartilhamento de dados para registros acadêmicos. O desdobramento foi relatado pelo site de notícias da universidade, o Inside Higher Ed, em 9 de julho.

A Universidade do Arizona pretende usar a blockchain para determinar se os estudantes que se transferem dos colégios comunitários já ganharam créditos suficientes para receber uma graduação de associado - uma qualificação intermediária entre um diploma do ensino médio e o de um bacharel de pleno direito.

O rastreamento de créditos durante esse processo - conhecido como transferência reversa - torna-se complexo e demorado para navegar: além da mera troca de dados, as faculdades precisam interpretar registros acadêmicos que não são homogêneos e estabelecer se as credenciais são equivalentes às suas.

Em parceria com a empresa de software em nuvem Salesforce e sua unidade empresarial central EdPlus, o Estado do Arizona está desenvolvendo uma rede de dados de estudantes baseada em blockchain que permitiria às instituições participantes trocar e verificar com segurança credenciais acadêmicas.

Um foco importante é tornar o processo de troca de dados bidirecional - para que os colégios comunitários possam continuar atualizadas sobre o progresso de seus ex-alunos no Estado do Arizona. A CTO da EdPlus, Donna Kidwell, disse a repórteres:

“Queremos otimizar esses caminhos em uma via de mão dupla [...] para que possamos apoiar os estudantes que estão criando seu próprio caminho em direção a uma graduação.”

Kidwell supostamente acrescentou que tais escolhas individualizadas de estudantes de “DIY” (faça você mesmo) podem também alimentar a compreensão das universidades sobre como desenvolver e adequar suas oportunidades de programas.

Kidwell disse que o sistema tem como objetivo avaliar e compartilhar melhor os dados de modo a evitar que os alunos percam a acreditação completa de seu aprendizado: "dizer que você tem 86 horas de créditos em um curso não é muito significativo em um currículo".

Muitos dos envolvidos acreditam que os alunos com uma graduação de associado são mais propensos a concluir sua graduação após a transferência e essa blockchain pode fornecer um mecanismo robusto para gerenciar rotas individuais complexas por meio do ensino superior. Como observou um coordenador de um colégio comunitário:

“A blockchain será o futuro dos registros acadêmicos. A tecnologia certamente proporcionaria maior fluidez. Ela também permitirá que os alunos detenham seus próprios registros acadêmicos”.

No entanto, outro consultor enfatizou que a interoperabilidade entre as instituições continua sendo um obstáculo significativo para a adoção otimizada da blockchain, observando que o Estado do Arizona:

“... teria que fazer o bastante complicado trabalho político para conseguir que os outros comprem a ideia de uma cadeia compartilhada. Eles enfrentarão questões sobre sustentabilidade, gerenciamento e propriedade da informação e tecnologia, bem como o desafio de mapear conhecimento de diferentes cursos em diferentes instituições.”

Enquanto isso, muitas universidades de alto nível no mundo todo estão oferecendo uma série de cursos e aceleradores relacionados à blockchain e cripto: um grupo de professores de Oxford tem buscado obter poderes de concessão na UE para o que eles chamam de primeira universidade blockchain do mundo."