Argentina trabalha em regulamentação das criptomoedas com órgãos estatais

O governo da Argentina está dialogando com representantes da indústria de criptomoedas no país para uma possível regulamentação do setor, segundo informações divulgadas pelo Cointelegraph em espanhol nesta quinta-feira, 11 de abril.

As negociações são realizadas pelo Banco Central da República da Argentina (BCRA), pela Unidade de Informação Financeira (UIF) e pela Comissão Nacional de Valores (CNV) do país.

De acordo com as informações, Alberto Echegaray Guevara, assessor da presidência da FIU, afirmou que os órgãos estatais estão trabalhando para oferecer às empresas no país uma regulação que se adapte às necessidades locais, oferecendo ao mesmo tempo segurança aos investidores e que atue no combate à lavagem de dinheiro. Ele acrescentou:

“Algo que não é regulamentado, não pode ter um valor econômico e financeiro nos mercados.”

O Banco Central do país vizinho se propôs a analisar a viabilidade do uso das criptos em transações por atacado entre instituições financeiras, enquanto a CNV estaria estudando a adequação das exchanges e ICOs às regras dos valores mobiliários.

No fim de março, o ministro das Finanças da Argentina, Feliz Martin Soto, afirmou em uma reunião em Pequim com o CEO do  Grupo Huobi que o governo deveria tratar a tecnologia blockchain e as criptomoedas como uma forma de promover a inclusão financeira da Argentina e reduzir os custos do Estado.

Na mesma oportunidade, o ministro explicou que metade da população do país não é bancarizada e realiza transações em dinheiro, convertendo suas economias por dólares dos Estados Unidos. O avanço da indústria cripto, neste contexto, poderia ajudar a Argentina a reduzir sua demanda por dólar.