LoveCrypto, desenvolvida por alunos da UF de Pernambuco promete remunerar usuários com criptomoedas para realizar atividades

A startup Lovecrypto anunciou que seu applicativo acabou de ser lançado em sua versão beta, conforme comunicado compartilhado com o Cointelegraph em 18 de setembro.

De acordo com o comunicado, a startup trabalha com soluções que permitem aos usuários serem remunerados em stablecoins ou criptomoedas para realizar atividades para empresas como assistir a vídeos, responder a pesquisas, dar feedback sobre produtos ou compartilhar em suas redes sociais.

Neste modelo de negócio, as atividades, são patrocinadas por empresas parcerias da startup que aceitam participar do processo de recompensas pois conseguem gerar leads qualificados, obter feedback sobre produtos e otimizar seu funil de vendas.

"Estamos construindo um futuro de adoção das criptomoedas, para nós, o nosso produto é uma maneira de criar um mundo de prosperidade compartilhada, protegendo a privacidade das pessoas por meio da Blockchain, ao mesmo tempo, que conecta empresas e pessoas", destaca o comunicado.

A startup foi criada por estudantes do Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE) e o app pode ser baixado na PlayStore.

Como noticiou o Cointelegraph, a adoção das criptomoedas e da tecnologia blockchain tem ganhando corpo nas universidades. Recentemente, a Universidade de St. Gallen, na Suíça, declarou que está de olho na tecnologia blockchain para combater diplomas falsos, um tipo de fraude que vem aumentando globalmente nos últimos anos.

A Universidade de St. Gallen anunciou que está introduzindo um projeto piloto baseado em blockchain para verificar a autenticidade de seus graus em questão de segundos, em vez de vários dias. O CIO da universidade, Harald Rotter, disse:

“Vi que isso poderia ser necessário e poderia ser um caso de uso válido para transferir ou facilitar a validação de nossos diplomas com base em um processo digital em blockchain.”