Andrew Yang quer usar a blockchain para tornar as eleições dos EUA à prova de fraude

Andrew Yang, um dos candidatos do Partido Democrata dos Estados Unidos à eleição presidencial de 2020 e defensor da blockchain, diz que implementará o voto móvel baseado em blockchain caso seja eleito presidente.

Segundo o site de sua campanha, Yang acredita que os americanos devem ter a opção de votar em um dispositivo móvel, usando a tecnologia blockchain para fins de verificação.

Yang também acredita que, em termos de risco de segurança, a maioria das máquinas de votação é tão vulnerável a hackers quanto é o caso da tecnologia moderna. Yang afirma:

“É ridículo que em 2020 ainda permaneçamos na fila por horas para votar em cabines de votação antiquadas. É 100% tecnicamente possível ter uma votação à prova de fraudes em nossos celulares hoje usando a blockchain. Isso revolucionaria a verdadeira democracia e aumentaria a participação para incluir todos os americanos - aqueles sem smartphones poderiam usar o sistema já consagrado e as linhas seriam muito curtas”.

Como resultado, Yang supostamente espera que o voto móvel impulsione uma maior participação nas eleições. De acordo com o site, as eleições presidenciais atualmente têm aproximadamente 50% de participação do público. Ele observa que isso “recompensa pontos de vista extremos em oposição à vontade popular”.

“Vasto potencial”

No mês passado, uma nova ação do comitê de política que apoia o candidato presidencial Andrew Yang anunciou que aceitará doações em Bitcoin via Lightning Network.

Em abril, Yang também clamou por diretrizes claras para investidores, empresas e indivíduos sobre criptomoeda, acrescentando que a blockchain tem um grande potencial.

Conforme reportado anteriormente pelo Cointelegraph, o partido governista da Federação Russa, o Rússia Unida, lançou uma plataforma baseada em blockchain para voto nas eleições primárias em março. Ela permite que os cidadãos votem on-line com a contagem de votos apoiada pela tecnologia blockchain para evitar fraudes.