Advogados, Promotores e Delegados de Polícia de Alagoas recebem 'treinamento' sobre Bitcoin e criptomoedas

O Ministério Público do Estado de Alagoas realizou um curso destinado a advogados, promotores e delegados de polícia no qual foi abordado Bitcoin e criptomoedas e como os criptoativos podem ser usados para a prática de crimes. O minicurso durou dois dias e foi ministrado pelo promotor de Justiça da Bahia, Fabrício Patury, segundo publicação do MPAL em 22 de julho.

De acordo com a publicação o minicurso aconteceu durante a última sexta-feira (19) e no sábado (20) e foi promovido por meio de uma parceria entre o MPAL e a Associação do Ministério Público (Ampal). Os encontros aconteceram na sede da Procuradoria-Geral da Justiça, localizada em Maceió-AL.

"Fizemos uma análise dessa nova sociedade digital para que tomem consciência e possam se posicionar. Cobramos das pessoas que estão aqui que deem um pulo para a revolução 4.0 e, da mesma forma, venham para a investigação em 4.0. É preciso dizer, olha você está numa outra sociedade com uma forma de investigar diferente, senão atuarão como sempre”, afirmou Patury.

A capacitação visa combater crimes cibernéticos capacitando promotores e delegados sobre vários tipos de crimes cometidos na internet e abordou também a deep web e os até mesmo os conceitos mais fundamentais sobre como os dados são compartilhados na internet.

“Descemos ao mais profundo nível de explicação do que é a internet para que todos tenham efetivo conhecimento técnico para poder fazer uma investigação de fontes restritas e com mais qualificação. Como por exemplo, o que discutir, o que pedir ao juiz no caso de um embargo, de uma decisão sem que haja qualquer insegurança. E finalizamos falando de temas mais ainda mais robustos como deep web, investigação em deep web, entender como funcionam e como investigar também as criptomoedas, assim investigamos praticamente todas as partes, fontes abertas e restritas, capacitando as pessoas que trabalham com isso para esse tipo de investigação mais atual”, ressaltou Patury.

Como reportou o Cointelegraph, a editora Enlaw lançará, no dia 30 de julho, a 1ª edição da Revista de Blockchain e Criptomoedas Descomplicadas para Advogados, uma publicação destinada a 'apresentar' o Bitcoin e os criptoativos para o setor jurídico.

A revista será composta por um total de seis artigos, escrito por autores diferentes, que buscam abordar o assunto que vai desde regulamentação e tributação há aplicabilidade. Também haverá uma entrevista com a desenvolvedora, especialista em Ethereum, Solange Gueiros.